Crédito diversificado: Covid leva Caixa a abrir financiamentos para compra de terreno e construção

 

A Caixa Econômica Federal reduzirá, a partir do próximo dia 3, a taxa de juros cobrados de pessoas físicas para construção individual ou aquisição de lote individualizado. A decisão levou em conta o fato de as medidas de isolamento social decorrentes da pandemia terem despertado o interesse por novas formas de habitação, com aumento da procura por casas com quintal, espaço e proximidade com a natureza, sem aglomerações ou elevadores.

No caso de lotes urbanizados, os valores financiados poderão variar de R$ 50 mil a R$ 1,5 milhão, com taxa de juros efetiva de 8,5% ao ano mais TR. A cota de financiamento é de até 70% sobre o valor de avaliação do terreno. O prazo para pagamento da dívida é de até 20 anos.

Nas modalidades destinadas à aquisição de terreno e construção e de construção em terreno próprio, as taxas de juros podem chegar à TR mais 6,5% ao ano.

A instituição anunciou ontem também a disponibilização de crédito pessoal com garantia de imóvel, o chamado home equity. Essa modalidade possibilita taxa de juros menor na comparação com outras de crédito pessoal, além de ter uma garantia mais sólida para a Caixa. As taxas variam de 0,6% a 0,9% ao mês. O prazo máximo de financiamento é de 15 anos.

Na modalidade de crédito pelo IPCA, a taxa mensal será a partir de 0,60% ao mês, com garantia de 50% do valor do imóvel. Em todas as modalidades, o prazo máximo de financiamento é de 15 anos.

“Ao criar as novas linhas de financiamento, a Caixa tem expectativa de emprestar R$ 40 bilhões”, salientou o presidente da instituição, Pedro Guimarães. Isso representa um aumento em mais de dez vezes em relação aos atuais R$ 3,5 bilhões, que representam 32% do market share que coloca a Caixa como líder em um mercado que movimenta R$ 11 bilhões no Brasil.

Segundo o presidente da Associação dos Mutuários e Moradores de Minas Gerais, Silvio Saldanha, as medidas são positivas e vêm para somar tanto para quem precisa de capital de giro quanto para quem quer financiar um terreno neste momento, com custo menor. “Essa proposta do banco, de reduzir as taxas para 8,5% e, em algumas modalidades, 6,5%, vai trazer um ganho muito maior, porque a prestação vai ficar pelo menos metade do valor do que se fosse contratado direto com o vendedor”, salienta.

Em relação ao home equity, Saldanha aconselha a pegar o mínimo de dinheiro possível e a quitar a dívida com maior rapidez. “Dar o imóvel é mais seguro para o banco. No entanto, a legislação é pesada e permite com três parcelas em aberto a instituição promova a execução extrajudicial e deixe a pessoa sem o imóvel e sem tudo o que pagou”, salienta.

O presidente da Comissão de Direito Imobiliário da OAB Minas, Kênio Pereira, avalia que com a pandemia, as pessoas estão valorizando espaços maiores, com o de casas. E essa medida da Caixa vem atender esse público, que começa a crescer agora com a pandemia. Já em relação ao home equity, ele salienta que é necessário ficar atento às taxas de juros, que podem ser o dobro de quando se financia um imóvel, superando os 20% ao ano. “Bancos emprestam e sabem que a garantia é muito maior, só que o empréstimo vira bola-de-neve e aumenta num percentual que pode chegar ao dobro do custo financeiro efetivo”, salienta.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Hoje em Dia

De casa de solteiro para lar do casal

Vamos ajudá-lo a passar de casa de solteiro para lar do casal. Viva o amor!

 

 

Você vai se casar? Sim, sabemos que não é fácil tomar uma decisão e, agora que você a tomou, não o abandonaremos. Queremos ajudá-lo a transformar a sua casa de solteiro em um lar para o casal. Você nos permite?

Primeiramente, você deve considerar que, a partir de agora, terá que fazer concessões. As decisões não serão mais tomadas apenas por você e, por esse motivo, terá que aprender a ouvir e procurar soluções para que a casa seja confortável para os dois.

Uma casa mais madura

 

 

Começamos esclarecendo que, com isso, não estamos dizendo para você se tornar clássico ou monótono, ou renunciar aos seus gostos particulares, mas dar uma ordem e um sentido à estética da sua casa.

Trata-se de definir o seu estilo: se você gosta mais do estilo nórdico, se prefere o estilo industrial ou se, pelo contrário, gosta da decoração mais zen. É dessa maneira que você será capaz de dar uniformidade ao restante do ambiente.

Espaço para os dois

Para passar de casa de solteiro para lar do casal, é essencial que ambos tenham os seus espaços muito bem definidos ou, caso contrário, haverá problemas. Na vida em casal, podem aparecer algumas complicações.

Você precisará de móveis e acessórios que adicionem funcionalidade à sua casa. Por exemplo, as prateleiras Kallax da IKEA, são uma opção muito recomendável, pois elas são bonitas e muito práticas.

Espaço pessoal

Viver em casal não significa que você deva ficar grudado com o seu amor o dia todo. Lembre-se de que o lar é aquele lugar onde nos sentimos seguros e confortáveis, por isso é importante ter espaços de solidão.

Ao passar de casa de solteiro para lar do casal, não se esqueça de encontrar ambientes nos quais cada um de vocês possa desenvolver os seus hobbies sem precisar estar juntos o tempo todo. Isto é super saudável. Existe até mesmo quem goste de dormir em quartos separados… por que não?

Os lugares comuns

 

 

Ao passar de casa de solteiro para lar do casal é imprescindível organizar muito bem o espaço comum: a distribuição, a decoração, etc. Embora não seja fácil, aproveite a oportunidade para colocar em prática as suas habilidades de comunicação.

Por isso é muito importante deixar um local tranquilo em casa, onde vocês possam se sentar e conversar. É necessário evitar que isso seja feito no quarto, procurando assim um espaço sem distrações e fazendo dele um local quente e aconchegante, com uma atmosfera na qual existam boas energias.

De casa de solteiro para lar do casal: o quarto

Sem dúvida, este é um dos lugares mais importantes em um ninho de amor: o quarto. Este é o lugar onde a intimidade será a protagonista, por isso, esforce-se para criar um refúgio limpo e sem barulho. Tenha em mente que é necessário promover um ambiente que favoreça o sono e a intimidade.

Aqui é importante que a decoração agrade aos dois; vocês certamente encontrarão uma maneira de fazer isso. Caso contrário, é melhor escolher um estilo mais neutro, com cores suaves e uma decoração menos marcante. Isso fará com que ambos se sintam em casa.

Agora é a hora do trabalho em equipe

 

 

A cozinha é outro lugar onde vocês terão muitos momentos de convivência. Será necessário compartilhar atividades, por isso, o ideal seria ter uma cozinha grande.

Procure ter uma bancada livre, mantendo-a sempre arrumada e certificando-se de que a geladeira esteja limpa e bem organizada.

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Dicas Decorativas

Aprenda como evitar 5 erros de reforma que podem custar caro

Orientar o tempo e os custos é o primeiro passo para gerenciar a renovação da casa

 

 

Reformar sempre é um momento emocionante, mas caro. E pode ficar ainda mais dispendioso quando as coisas dão errado. Quem já passou por uma renovação na casa sabe que realmente o orçamento pode ir às alturas do dia para a noite. Orientar o tempo e os custos é o primeiro passo no gerenciamento de expectativas, sem mencionar a conta bancária. Anote algumas dicas para ter a casa dos sonhos sem sofrimento.

 

1. Prepare-se para as taxas

A solicitação de licenças e permissões (instalações hidráulicas, elétricas, modificações na planta) é geralmente o primeiro passo necessário em qualquer processo de renovação, mas as taxas costumam pegar os desavisados de surpresa. Então, antes de começar a quebradeira, verifique junto aos órgãos competentes o que será preciso e quanto custa.

 

2. Fique longe se puder

Imagine lidar com a reforma diariamente em sua casa. Isso pode ser bem desorientador, não apenas pela sujeira e bagunça, mas também pelo exército de pessoas trabalhando ao seu redor. Em vez de usar o cheque especial à beira de um ataque de nervos de última hora, faça um orçamento em hotel ou Airbnb e coloque na conta de reforma ou planeje morar com amigos ou familiares pelo menos durante a quebradeira.

 

3. Não se apaixone pelo novo

Nem sempre o que reluz é ouro. Portanto, muito cuidado com aqueles materiais que sonhou a vida toda, mas talvez não condizem com seu dia a dia de uso e manutenção. Os materiais naturais e de alta manutenção, como alguns tipos de pedra, mostram desgaste ao longo do tempo e parecem muito diferentes um ano depois comparado ao primeiro dia de instalação. Como aquele tênis novo branquinho, que a gente sabe que será impossível manter intacto. Então pesquise bem os materiais para descobrir seus prós e contras, além do custo-benefício antes do veredito final.

 

4. Reserve para contingências

Reserve uma parte do orçamento, entre 10% a 15%, segundos especialistas, para imprevistos – no caso de uma inspeção inesperada ou de um vazamento encontrado atrás da parede do chuveiro. Essas ocorrências não planejadas são o que frequentemente acabam com os budgets e estendem os prazos.

 

5. Escolha acabamentos no início

A pressão da decisão é bem real. Podem parecer pequenos detalhes, como torneiras, acessórios e acabamentos (o grande número de opções e combinações é entorpecedor), mas são itens que causam grande impacto, tanto no bolso quanto no visual. Então não é uma boa ideia adiar até o final do projeto quando você pode estar cansado e sujeito a ter de fazer concessões por conta do estouro de orçamento e da falta de paciência.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Revista Casa e Jardim

Tipos de Esquadrias

Com estas dicas você vai descobrir o melhor modelo e material para portas e janelas e como dividir ambientes com esquadrias

 

 

Acredite se quiser, todo mundo já viu uma esquadria! O termo arquitetônico faz referência a nada mais que as aberturas de uma construção. Ou seja, janelas, venezianas, portas e portões contam como esquadrias na obra e, dependendo dos modelos e materiais escolhidos, podem corresponder de 9% a 18% do orçamento total.

 

1. Portas

 

 

Fundamentais para a circulação adequada, as portas podem ser de modelos e materiais variados, conforme o que a situação e o ambiente pedem. Os tipos mais comuns são tradicional, porta-balcão, holandesa, pivotante, camarão, sanfonada, de correr, veneziana, vai-e-vem e basculante. Variam entre elas o número de folhas, o mecanismo, o vão de abertura e os acabamentos.

Entre os materiais, destacam-se madeira, MDF, ferro, aço, PVC, vidro, alumínio e ACM (material de alumínio composto). Cada um tem sua aplicação, considerando manutenção, limpeza, leveza, custo, resistência, segurança e isolamento acústico.

 

2. Janelas

 

 

Cada ambiente pede um determinado tipo de janela, então, é importante entender as necessidades de cada um. Quando se trata de um apartamento, a janela deve atender às especificações do condomínio, por exemplo.

Entre os modelos mais comuns de janelas estão basculante, pivotante, máximo-ar, guilhotina, de abrir, de correr e venezianas. Já os materiais costumam variar entre madeira, alumínio, aço, ferro, PVC e vidro temperado. Se a ideia é adquirir um modelo de pronta-entrega, é preciso estar atento às dimensões disponíveis, que variam conforme a região.

 

3. Divisão de Ambientes

 

 

Você já deve ter notado que muitas paredes podem fazer um ambiente parecer menor e dificultar a circulação. As esquadrias acabam sendo uma ótima saída para arejar e conferir amplitude a pequenos espaços.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Revista Casa e Jardim

Saiba como limpar caixa d’água de forma simples e eficaz

Você sabia que, mesmo contando com um bom sistema de abastecimento, todos os moradores devem aprender como limpar caixa d’água? De tempos em tempos, esse tipo de reservatório pode acumular alguns resíduos, necessitando de uma faxina completa e capaz de eliminar a sujeira e evitar o entupimento dos canos.

Com essa prática, será possível manter o local sempre higienizado e, inclusive, proteger a saúde de toda a sua família. Ainda assim, são poucas as pessoas que sabem como “colocar a mão na massa”.

Mas vamos te dizer uma coisa: saber como limpar caixa d’água é menos complicado do que parece e qualquer indivíduo pode realizar essa tarefa sozinho. Tudo o que você precisará, é utilizar as ferramentas adequadas e, principalmente, ter bastante disposição e atenção.

E caso não faça ideia por onde começar, fique tranquilo! Pensando nisso, trouxemos para o post de hoje diversas dicas sobre como limpar caixa d’água da melhor e mais simples maneira. É só acompanhar a leitura e ficar por dentro!

 

Por que é tão importante limpar a caixa d’água?

Em casa, usamos a água para diversas finalidades — seja para beber, lavar os alimentos, tomar banho ou, inclusive, higienizar o ambiente. E para que consigamos aproveitar essa água, ela deve ser limpa e estar devidamente armazenada em uma caixa d’água bem estruturada.

Por isso, saber como limpar caixa d’água é tão importante. É seguindo os passos corretos que você fará uma limpeza adequada para aproveitar a água que chega até dentro da sua casa de forma saudável.

Quando isso não acontece, corremos o perigo de entrar em contato com um material contaminado que, por sua vez, é capaz de afetar toda a família, causando uma série de doenças graves, como a cólera e a leptospirose. Ou seja, um verdadeiro perigo!

Como uma maneira de evitar esse cenário, alguns moradores têm o hábito de limpar o local anualmente. No entanto, embora não pareça, essa prática não é a mais recomendada e pode ser ineficiente para manter os indivíduos longe dos problemas de saúde. Além disso, nem todo mundo sabe, realmente, como limpar caixa d’água de forma eficaz.

O ideal, é que a caixa d’água seja higienizada completamente, pelo menos, duas vezes ao ano e da maneira correta. Fora isso, é de extrema relevância que a sua estrutura esteja sempre fechada, impedindo assim, a proliferação de mosquitos e outros agentes responsáveis por transmitir doenças.

 

Como limpar caixa d’água da forma correta?

Após descobrir a importância de manter o local higienizado, chegou o momento de aprender como limpar caixa d’água e garantir a saúde de toda a família. A boa notícia é que essa tarefa, apesar de exigir atenção, é simples e acessível. Basta seguir o nosso passo a passo:

 

 

Passo 1

Comece o processo fechando o registro de entrada de água. Essa etapa é essencial para evitar desperdícios e ajudar na limpeza.

 

Passo 2

Comece a esvaziar o reservatório. Para não deixar a família sem água durante o seu trabalho, considere reservar um pouco do líquido em baldes, garrafas e demais recipientes.

 

Passo 3

Não esvazie completamente a caixa d’água. Em vez disso, deixe, pelo menos, um palmo acumulado no reservatório. Quando atingir esse nível de água, feche completamente o registro de saída para que nenhum produto químico chegue nos canos da residência.

 

Passo 4

Agora você já pode iniciar a limpeza. O ideal é começar pelo fundo do local e, depois, higienizar as paredes. Esse processo pode ser feito com a ajuda de esponjas, panos limpos ou escovas.

 

Passo 5

Em hipótese alguma utilize produtos químicos durante a sua faxina — sabões e detergentes, por exemplo, devem ser deixados de lado. Toda a limpeza será realizada com o uso dos panos, esponjas ou escovas específicas para essa finalidade.

 

Passo 6

Feito isto, você já pode enxaguar o local e, com a ajuda dos panos limpos, remover toda a água que ficou acumulada na caixa. Lembre-se ainda, de jamais jogar o líquido sujo diretamente no encanamento da casa.

 

Passo 7

Abra o registro externo e permita que o reservatório se encha novamente. Ao longo dessa etapa, mantenha a saída de água tampada para a tubulação da casa.

 

Passo 8

Assim que a caixa estiver cheia, coloque 2 litros de água sanitária para a medida de 1.000 litros de água encanada. Espere, aproximadamente, 2 horas e não utilize o líquido armazenado durante esse período.

Feche o registro mais uma vez e abra a saída de água da estrutura para o encanamento, permitindo que a água “nova” desça pela tubulação. Vale ressaltar que essa água não pode ser utilizada pelos moradores — ela é indicada somente para ser reutilizada na faxina do lar ou nas descargas dos banheiros.

 

Passo 9

Por fim, você já poderá encher o reservatório novamente, abrindo o registro e permitindo que o abastecimento volte a funcionar. Finalize o processo tampando bem a caixa para evitar a entrada de mosquitos, sujeiras ou animais.

 

Pronto! Em poucos passos, você aprendeu como limpar caixa d’água adequadamente e garantir mais saúde para toda a família. Só não se esqueça de realizar esse processo a cada seis meses para que o funcionamento da estrutura nunca deixe a desejar.

 

Os benefícios de limpar a caixa d’água

Ainda em dúvida sobre os benefícios de saber como limpar caixa d’água corretamente? A seguir, listamos os principais deles para que você adote essa prática agora mesmo. Veja:

– saber como limpar caixa d’água é excelente para evitar que o encanamento fique entupido por conta do acúmulo de sujeira;
– você conseguirá proteger a sua família de diversas doenças, que vão desde intoxicações alimentares até problemas mais graves, como a dengue ou a leptospirose;
– você irá consumir uma água mais limpa e saudável;
– o sistema de abastecimento passará por uma manutenção constante, o que aumentará a sua vida útil;
– é uma prática econômica, que pode ser realizada por qualquer pessoa e não exige gastos elevados.

 

Quais os materiais necessários para realizar essa tarefa?

 

 

Saber como limpar caixa d’água é essencial, mas para conseguir alcançar um resultado satisfatório na limpeza, você também precisará contar com o auxílio de alguns produtos específicos. Portanto, tente já ir separando cada um desses materiais, para que nenhum item fique de fora durante o processo. São eles:

– um ou mais panos limpos;
– uma esponja;
– uma luva de borracha;
– uma escova composta por cerdas macias;
– água sanitária.

Atenção: evite utilizar materiais duros demais ao longo da atividade, como é o caso das vassouras ou esponjas de aço. Por serem extremamente ásperas, elas conseguem danificar a estrutura do reservatório, afetando diretamente a qualidade da água que será consumida pelos moradores da residência.

 

Quais cuidados tomar para evitar problemas?

Outro ponto importante é saber quais os cuidados necessários durante essa tarefa. Caso contrário, você correrá o risco de contaminar o reservatório, mesmo com a intenção de higienizá-lo.

O primeiro passo é não armazenar produtos químicos ou sujos perto do local, uma vez que eles podem entrar em contato com o líquido e prejudicar a sua rede de abastecimento.

O mesmo vale para o estoque de itens alimentícios. Quando guardados perto da caixa d’água, eles são grandes atrativos para ratos, baratas e outros animais portadores de doenças. Já ao finalizar a limpeza, certifique-se de que a estrutura está devidamente tampada para que nenhuma sujeira ou insetos consigam acessar o seu interior.

Procure ainda, não colocar nenhum elemento pesado sobre a tampa — tal atitude pode contribuir para que a superfície fique rachada ou, até mesmo, quebre. Com a cobertura e os cuidados necessários, será possível preservar a água do lar e garantir a sua qualidade em tempo integral.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Toca Obra

Reforma de Casas: dicas importantes para você

 

Quem não tem vontade de morar numa casa nova de vez em quando? Mas nem sempre é possível simplesmente deixar tudo para trás e mudar de casa ou de apartamento. Muitas vezes o ambiente não está mais tão agradável, as paredes estão gastas, o teto está com mofo, tem revestimentos quebrados, enfim. Então resolve-se fazer uma reforma de casas. Aí que começa a maratona!

Tem gente que se assusta só de pensar em como será que vai ser a reforma de casas.Claro que toda reforma de casas nos traz um pouco de surpresa, mas se tomarmos alguns cuidados, elas não serão surpresas, mas alguns dos itens do cronograma.

No decorrer da obra, a presença, entrada e saída de diversos profissionais que não cumprem com a palavra, com o prazo, o orçamento que estoura, são coisas que fazem se pensar mil vezes antes de reformar uma casa. Em um ambiente comercial tem o agravante de não poder parar de funcionar para ser reformado. Mas alguns inconvenientes podem ser atenuados com o uso de profissionais que irão planejar e administrar.

 

Toda reforma de casas requer planejamento

Primeiramente é preciso que o arquiteto, através de um projeto fechado com o cliente, defina o que exatamente será feito e o quanto se pretende gastar, para que se oriente em questão de materiais, profissionais e outras despesas da reforma de casas. Para manter os pés no chão é essencial que se faça um orçamento detalhado com os preços pesquisados para o dinheiro não acabar antes do final da obra. Lembrar sempre: o barato sai caro, então contrate um profissional para assessorar.

Cuidado com o “já que”. Ah… Já que estou mexendo vou fazer isso, já que estou mexendo vou fazer aquilo também. Tudo que fugir do planejamento pode ter consequências, como quebrar novamente uma determinada parte que já estava finalizada. Esse tipo de atitude pode gerar custos, e o ” já que” vai sair mais caro. Uma vez que o projeto está fechado, não deve haver alterações que não sejam estritamente necessárias como no caso de edificações muito antigas que podem apresentar algumas “surpresas” ao mexer nas paredes, etc.

 

Toda reforma requer bons profissionais

Muita atenção na hora de escolher os fornecedores e profissionais. Pesquise, procure indicação, referência, principalmente do profissional que está cuidando do projeto e da obra pra você!

 

Toda reforma requer bom relacionamento

Esse é mais um fator que pode fazer com que sua reforma termine de forma tranquila. Reformar uma casa é difícil, mas fazer obra em apartamento é muito mais. As dificuldades começam quando seguram o elevador por muito tempo para carregar com o material, depois o mesmo fica sujo, e o barulho, então, ninguém gosta, né? Existem leis que tratado direito da vizinhança e determina algumas limitações, mas nada como usar o bom senso e a boa educação, não é mesmo? Provavelmente o condomínio já tem suas regras, então basta segui-las.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento para sua reforma? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Viva Decora

Parede em drywall ou alvenaria? Veja a análise e descubra suas vantagens e desvantagens!

A escolha correta dos materiais e sistemas construtivos para um projeto é uma das principais decisões a se tomar para que se tenha um resultado final realmente efetivo.

Quando se trata de escolher entre paredes em drywall e paredes convencionais (em alvenaria de tijolos), muitos profissionais ainda encontram dúvidas quanto às vantagens e desvantagens de cada sistema construtivo.

Por isso, para auxiliar essa decisão, listamos aqui alguns prós e contras do uso do sistema drywall comparados com a alvenaria.

Antes de começarmos, que tal ver o que é o drywall e entender como ele funciona?

Parede de alvenaria ou drywall: 7 vantagens do drywall

 

1 – Em projeto: menor espessura, maior área útil

O sistema drywall permite construir paredes com menor espessura que as paredes convencionais em alvenaria de tijolos.

Com paredes mais estreitas, ganha-se aproximadamente 5% de área útil no projeto. À primeira vista esse percentual pode parecer baixo, mas na verdade esse número pode fazer a diferença principalmente quando se tratam de apartamentos com área pequena, em que todo acréscimo de espaço disponível é muito bem-vindo.

 

2 – Em projeto: soluções mais criativas

 

O sistema drywall permite soluções criativas e diversificadas que podem personalizar os seus projetos. O drywall pode ser utilizado para a construção de paredes curvas, recortes para iluminação embutida em painéis e muito mais.

O drywall também pode ser utilizado para construção de itens de mobiliário como prateleiras, estantes e nichos, elementos que muitas vezes acabam por onerar o custo do projeto dependendo do material e acabamento escolhido.

 

3 – Durante a obra: rapidez e limpeza na montagem

O termo drywall designa um sistema de construção a seco, pois não utiliza água em sua montagem: as placas de gesso acartonado são parafusadas em perfis metálicos que já vão prontos para a obra.

Dessa forma, o uso do sistema drywall permite uma construção muito mais limpa em relação à execução de paredes convencionais, já que não demanda a utilização de argamassa ou outro material e gera menos entulho que a alvenaria convencional, sendo que os resíduos são recicláveis.

Além das vantagens do drywall em relação a limpeza da obra, a facilidade de corte e manuseio do produto e a leveza do drywall permitem que uma parede nesse material seja executada com muito mais rapidez e praticidade, reduzindo assim o tempo de obra e os custos com os prestadores de serviço.

 

4 – No resultado final: precisão e qualidade de acabamento

Outra vantagem do uso do sistema drywall é a precisão que se consegue atingir em termos de medidas de projeto e nivelamento de paredes e a qualidade do acabamento alcançado, perfeitamente liso.

Além disso, as paredes em drywall aceitam uma grande diversidade de revestimentos além da pintura, como texturas, papéis de parede, cerâmicas e azulejos, lembrando-se sempre das devidas vedações e impermeabilizações necessárias como em qualquer outro material.

 

5 – No resultado final: resistência ao fogo

Naturalmente o drywall já possui características em sua composição que reduzem a propagação das chamas.

Porém, quando necessário, paredes em drywall podem apresentar o efeito retardante ao fogo, ou seja, impedir seu alastramento, sendo muito recomendado para saídas de emergência ou em áreas de grande risco de incêndio, já que é capaz de “segurar” o fogo por até 90 minutos.

Para esse tipo de uso é necessário especificar tipos especiais de placas de drywall, conhecidas como drywall rosa. A grande vantagem, além da praticidade de instalação do material, é o valor relativamente baixo se comparado às outras técnicas de isolamento.

 

6 – No resultado final: isolamento de ruídos

Os sistemas drywall conseguem melhor isolamento do som e contribuem para o conforto nos ambientes no que se refere à transmissão de ruídos.

O produto já apresenta bom isolamento acústico, porém pode-se aumentar o rendimento incluindo entre as chapas materiais fibrosos, como lã de rocha ou lã de vidro, atribuindo características de atenuação e isolamento de sons.

Portanto, é possível obter um ótimo isolamento acústico e térmico, dependendo da estrutura interna projetada. Para verificação dos índices termoacústicos dos diferentes tipos de chapas, as empresas disponibilizam tabelas com o desempenho de cada produto.

 

7 – Pós-obra: manutenção e reparos

Uma grande vantagem do uso do sistema drywall está na fase pós-obra, quando surgem eventuais necessidades de manutenção e reparos, como na ocasião de vazamentos de água, por exemplo.

Nesse caso, rasga-se apenas a parte necessária para o acesso à tubulação e conserto do encanamento, sendo possível posteriormente fechar a abertura com o mesmo pedaço de chapa existente.

Dessa forma, tem-se uma rápida e total reconstituição da parede, sem o tradicional e incômodo “quebra-quebra” e sujeira das manutenções em paredes comuns de tijolos ou blocos.

 

Drywall ou alvenaria: 4 desvantagens do drywall

Visto algumas vantagens do drywall em relação às paredes em alvenaria de tijolos, também é necessário apontarmos alguns pontos de desvantagem desse sistema.

 

1 – Resistência

O sistema é menos resistente a impactos do que a alvenaria.

Porém cabe lembrar que o drywall atende aos requisitos de desempenho técnico em relação a pesos, impactos e outros aspectos exigidos pelas normas e regulamentações.

 

2 – Uso em paredes externas

O sistema drywall não pode ser utilizado para execução de paredes externas, que estejam submetidas à ação do tempo.

Mesmo as placas verdes, que tem resistência à umidade, devem ser utilizadas somente em ambientes internos da edificação, em áreas secas, úmidas ou molhadas, como cozinhas e banheiros.

 

3 – Instalação de móveis e equipamentos

Móveis e equipamentos como prateleiras, bancadas, nichos, televisores e outros, podem ser instalados em paredes de drywall, porém será necessário o uso de itens específicos, como buchas apropriadas, ou até mesmo prever estruturas internas de reforço metálico adequadas para o peso que as paredes irão suportar.

 

4 – Vulnerabilidade à insetos

Como a parede em drywall é composta por perfis metálicos e chapas de gesso acartonado, existe um espaço vazio entre as placas, que possibilita a proliferação de pequenos insetos como cupins e traças no seu interior.

Por isso, em locais quentes, principalmente, será necessário um maior controle.

Não esqueça da qualidade!

 

Então, convencido de que o drywall é um sistema eficiente para a construção de paredes?

Vale lembrar que apesar de muito prático e de fácil instalação, deve-se sempre contar com os serviços de um profissional especializado e produtos de qualidade para obter os melhores resultados.

Gostou do artigo? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Viva Decora

DICAS NA HORA DE REALIZAR UMA REFORMA HIDRÁULICA

Se a sua casa já tem bastante tempo de vida útil, é provável que alguns aspectos dela já estejam comprometidos. Como por exemplo, a parte de instalação hidráulica, que após anos sem nenhum reparo, pode acarretar em infiltrações e vazamentos em seu lar. Caso isso já esteja acontecendo em sua casa, o ideal é realizar uma reforma hidráulica.

Sabemos que a palavra ‘reforma’ já causa uma dor de cabeça. Ainda mais quando envolve uma parte tão importante quanto o sistema hidráulico da casa. Mas com essas dicas, com certeza a reforma hidráulica de sua casa terá sucesso.

 

1 – Utilize Materiais de qualidade

Pode parecer uma dica simples, mas tem um grande valor. Quando for a lojas de materiais, preste atenção em cada material que irá comprar. Observe se cada cano comprado corresponde com a necessidade- para água quente ou fria, para esgotos ou água potável, baixa ou alta pressão, entre outros.

Materiais de baixa qualidade possuem uma vida útil inferior, fazendo com que a reforma hidráulica realizada, também tenha uma durabilidade menor. Por isso, é muito recomendável ver se a marca é certificada. Consulte se o fabricante é avaliado pelo Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade do Habitat (PBQP-H) e veja se ele segue as normas.

 

2 – Tenha registro em cada ponto de água (cozinha, banheiro)

Caso você tenha apenas um registro para a sua casa inteira, aproveite a reforma hidráulica para reverter essa situação. É extremamente importante que cada cômodo que contenha pontos de água (cozinha, banheiro, área de serviços) tenha seu próprio registro. Isso faz com que não precise fechar toda a circulação de água e encerrar o fluxo na casa inteira.

 

3 – Não feche pisos e paredes sem antes testar a instalação elétrica

Mesmo que a instalação elétrica esteja nova e pronta, é necessário realizar alguns testes para verificar se não existe nenhum tipo de vazamento, caso alguma parte não esteja bem encaixada. Apenas ao realizar o teste, permita que a fase seguinte da reforma seja realizada. Caso contrário, você corre o risco de precisar quebrar novamente a parte da instalação, para realizar alguns reparos.

 

4- Conte com uma mão de obra especializada e um bom projeto de reforma hidráulica

Talvez a dica mais importante. Ao realizar uma reforma hidráulica, é extremamente necessário a contratação de uma mão de obra especializada, acompanhada de um ótimo projeto.

Com a ajuda de profissionais, eles saberão definir onde cada cano deve ser colocado. Além de saber qual é o diâmetro adequado e, também, definir qual o tipo de material é o mais recomendável a se usar na reforma.

Além disso, de acordo com a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), é necessário que um arquiteto ou engenheiro seja responsável por elaborar um projeto para a parte hidráulica de sua casa.

Com essas dicas, com certeza você irá realizar a reforma hidráulica de sua casa com eficiência e sem nenhuma dor de cabeça. Se você gostou, confira mais de nossos artigos visitando nosso blog.

 

Fonte: Geimper

Como funciona uma lâmpada espiã? Conheça a tecnologia espiã

Lâmpadas de LED com câmera HD escondida podem gravar no escuro e transmitir imagens via Internet em tempo real

 

As lâmpadas de LED com câmera HD 360° estão disponíveis no mercado brasileiro em diversos modelos e preços. Desenvolvidas para serem um produto que oferece vigilância de forma discreta, as “câmeras espiãs” chamam muito menos a atenção que outros dispositivos de segurança convencionais. Por isso, os aparelhos ganham certa popularidade entre os consumidores.

Para entender melhor como funciona e quais ferramentas estão por trás da inteligência do eletrônico, confira a seguir os detalhes sobre as lâmpadas com câmera. Saiba se a tecnologia é uma boa opção para você proteger a sua casa.

 

 

Instalação

A instalação não tem diferença em relação ao procedimento que envolve uma lâmpada comum: basta plugar o dispositivo no bocal. Depois, o usuário precisa conectar o aparelho ao Wi-Fi mais próximo e fazer o download do aplicativo próprio da lâmpada. Pelo app, é possível escolher as configurações desejadas de acordo com as suas necessidades.

A câmera dentro da lâmpada é sem fio e equipada com microfone, alto-falante, microSD, sensor infravermelho e Wi-Fi. Em relação ao consumo, o produto promete ser econômico – por ser uma lâmpada do tipo LED, ela deve oferecer alta durabilidade e baixo consumo de energia.

 

Funcionamento

Uma vez conectado à rede Wi-Fi, o acessório pode transmitir as imagens capturadas em 360º por meio de um aplicativo próprio. Para armazenar os vídeos, é necessário inserir um cartão microSD com capacidade para até 64 GB. Além disso, muitos modelos contam com sensores de movimento na área definida pelo app.

De acordo com uma fabricante, a gravação começa ao ligar o interruptor. É necessário, portanto, acender a luz para a eletricidade alimentar a lâmpada. O usuário pode controlar a luminosidade após baixar o aplicativo do aparelho, porém ele não funciona sem que o interruptor esteja ligado.

 

 

Aplicativo

A maioria dos aplicativos das lâmpadas espiãs está disponível para Android e iPhone (iOS). Alguns modelos contam com funções especiais no app, como controlar o zoom da câmera, luminosidade, ouvir o áudio do que foi gravado e usar o alto-falante para se comunicar com o ambiente onde o dispositivo está instalado. Além disso, o aplicativo pode avisar ao usuário quando há o registro de alguma movimentação.

Alguns aparelhos fazem gravação panorâmica e podem ter resolução de 1280 x 960 pixels, além de contar com visão noturna. Nesse caso, é possível acionar pelo app de forma manual ou configurar para acionar automaticamente na falta de luz. Antes de comprar o produto, é importante verificar se ele é bivolt, para ser usado em qualquer região do Brasil.

 

Modelos à venda no Brasil

 

Após o lançamento de alguns aparelhos por meio do site Indiegogo, como a Tovnet e a LightCam, outros modelos chegaram ao mercado brasileiro com preços que variam entre R$ 80 e R$ 500. Uma das opções mais baratas à venda atualmente é a “Camera Lampada Led Wifi IP HD Panoramica Única 360º Espião”, que custa a partir de R$ 93 em lojas online. O modelo conta com aplicativo de controle e comunicação bilateral – o usuário pode ouvir o que é captado no ambiente e falar com quem estiver no local por meio do alto-falante.

Outro aparelho disponível é o “Camera Ip Seguraca Lampada Vr 360 Panoramica Espia Wifi V380”, que permite acender a luz remotamente por meio da Internet. À venda por R$ 95, a câmera conta com 1,3 megapixels e lente no formato olho de peixe.

Por fim, há também a “Câmera espiã com 32 GB em lâmpada LED”, com especificações mais avançadas e preço de R$ 440. O modelo faz gravações de vídeo com áudio, em qualidade Full HD de até 1920 x 1080, e acompanha cartão microSD de 32 GB. O dispositivo traz o recurso de detecção de movimento, que serve para iniciar a gravação apenas quando o sensor de presença percebe movimentações no ambiente. Outra função interessante é a visão noturna, que permite filmar e fotografar no escuro, com uma distância máxima de até 5 m².

 

Gostou do que viu? Gostaria de instalar em sua residencia/comercio? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Tech Tudo

Como Economizar na Reforma de Apartamento: 8 Dicas Essenciais

 

Aposto que a palavra economizar no título desse post chamou muito a sua atenção. Ainda mais quando estamos falando de como economizar na reforma de apartamento, que é um dos sonhos de muitas pessoas. E como em muitos casos, medimos a distância entre nós e esses sonhos pelo que temos no bolso, ou em nossas contas bancárias.

Portanto, quanto mais recursos você puder manter, mais perto de realizar o seu sonho você estará. E foi pensando nisso que decidimos trazer no blog da FazTudo Engenharia essa lista com 8 dicas de como economizar na reforma de apartamento.

Acredito que a palavra economizar pode soar como musica em nossos ouvidos em diversas situações. E se você é como eu, que não perde uma chance de poupar, fique de olho nas dicas a seguir. Vamos falar sobre diversas oportunidades, ferramentas e escolhas que você pode fazer para economizar na reforma de apartamento.

 

1 – Faça um bom Planejamento

O pilar para se economizar na reforma de apartamento é fazer um bom planejamento. Colocando todos os custos na ponta do lápis, você poderá se antecipar e se preparar para os eventuais custos extras que você pode ter durante a reforma. E estar preparado pode ser sinônimo de economia na reforma de apartamento. Se você fez um bom planejamento, você terá controle total do seu orçamento e evitará surpresas, além de gastos inesperados.

 

2 – Procure por Especialistas

Sabe aquele primo do seu amigo que é pedreiro, eletricista, encanador e faz bicos como técnico eletrônico aos finais de semana? Então, fuja dele! Um especialista vai saber a melhor forma de realizar o trabalho sem gambiarras ou soluções mágicas. Esse profissional vai utilizar de toda a sua experiência e conhecimento para fazer um trabalho de qualidade, ajudando você a economizar na reforma de apartamento.

 

3 – Reaproveite o que você puder

Você sabia que pisos de madeira gastos podem ser recuperados e reaproveitados como novos? Isso mesmo, um cliente que queria saber como economizar na reforma de apartamento. Como o apartamento já possuía pisos de madeira, eram de tacos nessa ocasião, então foi sugerido ao cliente recuperá-los. Ele gostou da ideia e o resultado foi impressionante, os tacos de madeira antes usados, foram retificados e ficaram novos em folha, ajudando mais uma vez um cliente a economizar na reforma de apartamento.

 

4 – DIY – Do It Yourself (Faça você mesmo)

Você é da turma do faça você mesmo? Então você já deve ser faixa preta nessa arte e saber muito bem sobre as possibilidades de economizar que estou falando.

O DIY são simples reformas ou restaurações que podem ser executadas por você mesmo. Você acabou de reformar a cozinha e não quer comprar um novo jogo de cadeiras por que quer economizar na reforma de apartamento? Tudo bem, DIY a restauração das suas cadeiras antigas. Ações e tarefas simples como lixar, envernizar ou simplesmente pintar podem trazer um resultado surpreendente.

Mas lembre-se, o DIY são para tarefas simples. Para os trabalhos mais complexos, lembre-se da nossa segunda dica e também do primo do seu amigo. Melhor procurar um especialista.

 

5 – Pagando a vista sempre tem desconto

Pagar a vista realmente não é uma tarefa simples no cenário de hoje. Não são muitas pessoas que tem a oportunidade de quitar a suas dívidas sem fazer parcelamentos.

Mas se você trabalhou na primeira dica dessa lista, que é o Planejamento, talvez você já tenha boa parte do dinheiro da reforma guardado. Ou até mesmo a quantia total se você estiver trabalhando nisso há muito tempo.

Pagando à vista aos fornecedores e prestadores de serviços, você sempre tem boas margens de descontos para negociar. Podendo chegar a até 10% ou mais dependendo dos casos, ajudando você a como economizar na reforma de apartamento.

 

6 – Tenha uma planilha de custos

A lista com os itens e custos que você tem que calcular em uma reforma de apartamento pode se estender muito. Tornando-se algo incontrolável dependendo do tamanho da sua reforma. As coisas podem ficar muito difíceis se você pretende calcular e organizar tudo isso em algumas folhas de caderno.

Porém, se você for mais antenado em tecnologia, talvez você já tenha uma planilha ou documento semelhante. Contendo os campos e os custos que você vai ter com a sua reforma. Com essa ferramenta você poderá controlar todos os custos por ambiente ou pela etapa da Obra. Além de poder gerenciar todas as despesas com muita facilidade e sem estourar o orçamento.

 

7 – Optar por mais qualidade ajuda em como economizar na reforma de apartamento

Sabe aquela historia do barato que sai caro? Então, ela também pode acontecer com você. Do que adianta você fazer uma reforma utilizando itens com preço abaixo da média do mercado e de qualidade duvidosa? Certamente, daqui a alguns anos ou menos, você vai ter que reformar tudo de novo por causa da baixa durabilidade desses materiais. Esse é um exemplo comum do barato que sai caro.

Por esse motivo, procure fazer uma reforma duradoura. Busque sempre por bons preços, mas a qualidade dos produtos e serviços é essencial. A longo prazo, com certeza optar por materiais duráveis vai fazer você economizar na reforma de apartamento.

 

8 – Contrate um Arquiteto

Contratar os serviços de um Arquiteto pode agregar muito valor para a sua obra. Além de que, os arquitetos são os profissionais que mais podem te ajudar a responder como economizar na reforma de apartamento. Contratando um arquiteto e elaborando um projeto bem planejado você pode economizar até 30% na fase de execução de obras. A economia é possível evitando desperdícios, retrabalhos e escolhendo os melhores insumos para a sua obra.

Gostou deste conteúdo e quer ficar por dentro de outras dicas de reformas e construções? Então, não deixe de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Studio Tec