Saiba como limpar caixa d’água de forma simples e eficaz

Você sabia que, mesmo contando com um bom sistema de abastecimento, todos os moradores devem aprender como limpar caixa d’água? De tempos em tempos, esse tipo de reservatório pode acumular alguns resíduos, necessitando de uma faxina completa e capaz de eliminar a sujeira e evitar o entupimento dos canos.

Com essa prática, será possível manter o local sempre higienizado e, inclusive, proteger a saúde de toda a sua família. Ainda assim, são poucas as pessoas que sabem como “colocar a mão na massa”.

Mas vamos te dizer uma coisa: saber como limpar caixa d’água é menos complicado do que parece e qualquer indivíduo pode realizar essa tarefa sozinho. Tudo o que você precisará, é utilizar as ferramentas adequadas e, principalmente, ter bastante disposição e atenção.

E caso não faça ideia por onde começar, fique tranquilo! Pensando nisso, trouxemos para o post de hoje diversas dicas sobre como limpar caixa d’água da melhor e mais simples maneira. É só acompanhar a leitura e ficar por dentro!

 

Por que é tão importante limpar a caixa d’água?

Em casa, usamos a água para diversas finalidades — seja para beber, lavar os alimentos, tomar banho ou, inclusive, higienizar o ambiente. E para que consigamos aproveitar essa água, ela deve ser limpa e estar devidamente armazenada em uma caixa d’água bem estruturada.

Por isso, saber como limpar caixa d’água é tão importante. É seguindo os passos corretos que você fará uma limpeza adequada para aproveitar a água que chega até dentro da sua casa de forma saudável.

Quando isso não acontece, corremos o perigo de entrar em contato com um material contaminado que, por sua vez, é capaz de afetar toda a família, causando uma série de doenças graves, como a cólera e a leptospirose. Ou seja, um verdadeiro perigo!

Como uma maneira de evitar esse cenário, alguns moradores têm o hábito de limpar o local anualmente. No entanto, embora não pareça, essa prática não é a mais recomendada e pode ser ineficiente para manter os indivíduos longe dos problemas de saúde. Além disso, nem todo mundo sabe, realmente, como limpar caixa d’água de forma eficaz.

O ideal, é que a caixa d’água seja higienizada completamente, pelo menos, duas vezes ao ano e da maneira correta. Fora isso, é de extrema relevância que a sua estrutura esteja sempre fechada, impedindo assim, a proliferação de mosquitos e outros agentes responsáveis por transmitir doenças.

 

Como limpar caixa d’água da forma correta?

Após descobrir a importância de manter o local higienizado, chegou o momento de aprender como limpar caixa d’água e garantir a saúde de toda a família. A boa notícia é que essa tarefa, apesar de exigir atenção, é simples e acessível. Basta seguir o nosso passo a passo:

 

 

Passo 1

Comece o processo fechando o registro de entrada de água. Essa etapa é essencial para evitar desperdícios e ajudar na limpeza.

 

Passo 2

Comece a esvaziar o reservatório. Para não deixar a família sem água durante o seu trabalho, considere reservar um pouco do líquido em baldes, garrafas e demais recipientes.

 

Passo 3

Não esvazie completamente a caixa d’água. Em vez disso, deixe, pelo menos, um palmo acumulado no reservatório. Quando atingir esse nível de água, feche completamente o registro de saída para que nenhum produto químico chegue nos canos da residência.

 

Passo 4

Agora você já pode iniciar a limpeza. O ideal é começar pelo fundo do local e, depois, higienizar as paredes. Esse processo pode ser feito com a ajuda de esponjas, panos limpos ou escovas.

 

Passo 5

Em hipótese alguma utilize produtos químicos durante a sua faxina — sabões e detergentes, por exemplo, devem ser deixados de lado. Toda a limpeza será realizada com o uso dos panos, esponjas ou escovas específicas para essa finalidade.

 

Passo 6

Feito isto, você já pode enxaguar o local e, com a ajuda dos panos limpos, remover toda a água que ficou acumulada na caixa. Lembre-se ainda, de jamais jogar o líquido sujo diretamente no encanamento da casa.

 

Passo 7

Abra o registro externo e permita que o reservatório se encha novamente. Ao longo dessa etapa, mantenha a saída de água tampada para a tubulação da casa.

 

Passo 8

Assim que a caixa estiver cheia, coloque 2 litros de água sanitária para a medida de 1.000 litros de água encanada. Espere, aproximadamente, 2 horas e não utilize o líquido armazenado durante esse período.

Feche o registro mais uma vez e abra a saída de água da estrutura para o encanamento, permitindo que a água “nova” desça pela tubulação. Vale ressaltar que essa água não pode ser utilizada pelos moradores — ela é indicada somente para ser reutilizada na faxina do lar ou nas descargas dos banheiros.

 

Passo 9

Por fim, você já poderá encher o reservatório novamente, abrindo o registro e permitindo que o abastecimento volte a funcionar. Finalize o processo tampando bem a caixa para evitar a entrada de mosquitos, sujeiras ou animais.

 

Pronto! Em poucos passos, você aprendeu como limpar caixa d’água adequadamente e garantir mais saúde para toda a família. Só não se esqueça de realizar esse processo a cada seis meses para que o funcionamento da estrutura nunca deixe a desejar.

 

Os benefícios de limpar a caixa d’água

Ainda em dúvida sobre os benefícios de saber como limpar caixa d’água corretamente? A seguir, listamos os principais deles para que você adote essa prática agora mesmo. Veja:

– saber como limpar caixa d’água é excelente para evitar que o encanamento fique entupido por conta do acúmulo de sujeira;
– você conseguirá proteger a sua família de diversas doenças, que vão desde intoxicações alimentares até problemas mais graves, como a dengue ou a leptospirose;
– você irá consumir uma água mais limpa e saudável;
– o sistema de abastecimento passará por uma manutenção constante, o que aumentará a sua vida útil;
– é uma prática econômica, que pode ser realizada por qualquer pessoa e não exige gastos elevados.

 

Quais os materiais necessários para realizar essa tarefa?

 

 

Saber como limpar caixa d’água é essencial, mas para conseguir alcançar um resultado satisfatório na limpeza, você também precisará contar com o auxílio de alguns produtos específicos. Portanto, tente já ir separando cada um desses materiais, para que nenhum item fique de fora durante o processo. São eles:

– um ou mais panos limpos;
– uma esponja;
– uma luva de borracha;
– uma escova composta por cerdas macias;
– água sanitária.

Atenção: evite utilizar materiais duros demais ao longo da atividade, como é o caso das vassouras ou esponjas de aço. Por serem extremamente ásperas, elas conseguem danificar a estrutura do reservatório, afetando diretamente a qualidade da água que será consumida pelos moradores da residência.

 

Quais cuidados tomar para evitar problemas?

Outro ponto importante é saber quais os cuidados necessários durante essa tarefa. Caso contrário, você correrá o risco de contaminar o reservatório, mesmo com a intenção de higienizá-lo.

O primeiro passo é não armazenar produtos químicos ou sujos perto do local, uma vez que eles podem entrar em contato com o líquido e prejudicar a sua rede de abastecimento.

O mesmo vale para o estoque de itens alimentícios. Quando guardados perto da caixa d’água, eles são grandes atrativos para ratos, baratas e outros animais portadores de doenças. Já ao finalizar a limpeza, certifique-se de que a estrutura está devidamente tampada para que nenhuma sujeira ou insetos consigam acessar o seu interior.

Procure ainda, não colocar nenhum elemento pesado sobre a tampa — tal atitude pode contribuir para que a superfície fique rachada ou, até mesmo, quebre. Com a cobertura e os cuidados necessários, será possível preservar a água do lar e garantir a sua qualidade em tempo integral.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Toca Obra

Trinca, rachadura ou fissura? Qual a diferença entre elas?

Saiba a diferença entre trinca, rachadura ou fissura e entenda o que acontece na parede da sua casa

 

 

Não importa se sua casa é nova ou velha, se você perceber o surgimento de uma marca na parede ou no teto, como uma aparente rachadura, a primeira coisa que deve se perguntar é: isso é realmente uma rachadura? Ou será uma fissura ou uma trinca?

Caso não saiba avaliar o problema, procure ajuda de um engenheiro civil ou converse com alguém que entende do assunto para fazer uma análise. Lembre-se: uma simples fissura na parede pode esconder um problema maior e não visível na estrutura da sua casa.

 

FISSURAS

 

 

Geralmente, são aberturas estreitas e alongadas na superfície de um material. As fissuras são, na maioria das vezes, de gravidade superficial, como um problema na pintura, na massa corrida ou no cimento queimado, o que não indica problemas estruturais no seu imóvel. No entanto, toda rachadura começa como uma fissura, por isso é importante ficar atento e observar se há evolução da fissura ao longo do tempo.

 

TRINCAS

 

 

Não importa se sua casa é nova ou velha, se você perceber o surgimento de uma marca na parede ou no teto, como uma aparente rachadura, a primeira coisa que deve se perguntar é: isso é realmente uma rachadura? Ou será uma fissura ou uma trinca?

Caso não saiba avaliar o problema, procure ajuda de um engenheiro civil ou converse com alguém que entende do assunto para fazer uma análise. Lembre-se: uma simples fissura na parede pode esconder um problema maior e não visível na estrutura da sua casa.

 

RACHADURAS

 

 

As rachaduras são aberturas maiores, mais profundas e acentuadas. São muito evidentes e facilmente perceptíveis. Para serem caracterizadas como rachaduras, as aberturas são de tal magnitude que vento, água e até luz passam através dos ambientes. Esse problema requer cuidado imediato.

Existem algumas razões para que essas aberturas? Fissura, trinca e rachadura? Aconteçam. Podemos citar algumas causas comuns para esses problemas:

– Retração de concreto, argamassa ou tinta: quanto mais água ou cimento houver na massa do concreto ou da argamassa, maior será essa retração, e esta pode ser observada por meio de fissuras. Outra situação é quando a tinta seca e apresenta retração, causando também fissuras na parede ou no teto.

– Dilatação: quando expostas ao sol, algumas partes da casa dilatam e retraem mais do que outras, causando possíveis fissuras. A laje, por exemplo, dilata bastante com o sol.

– Vibrações e trepidações: vibrações constantes podem afetar casas e edifícios. Exemplos disso são imóveis localizados onde há excesso de veículos trafegando na rua, acesso a metrô e inúmeras outras fontes.

Além dos poucos exemplos citados, há outras razões para fissuras, trincas e rachaduras surgirem. Problemas com o fluxo de água ou lençol freático, problemas de execução, problemas de projeto e muitos outros.

Se você tem um problema com trincas ou rachaduras, procure um especialista e requisite uma análise técnica de seu problema. Não tente descobrir o problema sozinho.

Gostou das dicas? Gostaria de agendar uma visita técnica? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Humber Seguros

COMO ECONOMIZAR ÁGUA TROCANDO A VÁLVULA DE DESCARGA SEM QUEBRAR A PAREDE

 

Um vazamento na válvula de descarga pode ser resolvido apenas com a troca do reparo, que é a peça que regula a saída de água para o vaso sanitário. Ainda existe a preocupação de que o conserto só pode ser feito quebrando a parede e azulejos, mas especialistas garantem e demonstraram que a substituição é possível sem obra no banheiro, no caso do defeito apenas no dispositivo.

Principalmente em imóveis antigos, as válvulas instaladas possuem um sistema com quantidade de água superior ao necessário, em torno de 12 litros ou até mais, que resultam no consumo desnecessário. Se houver vazamento, um filete de água desperdiçado pelo vaso sanitário causa perda de 144 litros diariamente, segundo a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A Organização das Nações Unidas (ONU) recomenda que cada pessoa use 110 litros de água/dia.
Além das opções de duplo acionamento (com opções para 3 e 6 litros), há no mercado reparos que reduzem o volume liberado pela descarga para no máximo 9 litros, em média, sem precisar mudar a parte externa da descarga, conhecida como espelho ou acabamento. Algumas peças são ainda mais econômicas e prometem consumo médio de 4,5 litros.

A orientação é sempre contratar um encanador ou um profissional com conhecimentos de hidráulica para avaliar qual peça deve ser usada e também fazer o serviço. Uma válvula mal regulada e instalada de forma errada pode aumentar o consumo ou até o vazamento. A troca não interfere na tubulação do banheiro porque o reparo só muda o acionamento da saída de água com o simples aperto do botão.

Os reparos mais econômicos podem ser comprados em lojas especializadas, com preços que variam entre R$ 25,90 e R$ 139, em três redes que comercializam o produto consultadas. Esse custo não leva em conta a mão de obra do profissional que deve fazer a instalação.

Gostou do artigo? Gostaria de realizar um orçamento para troca do reparo? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: G1

DICAS DE MANUTENÇÃO PARA SEU PRÉDIO COMERCIAL

Manter a funcionalidade e a segurança de um prédio comercial é tarefa que exige conhecimento, profissionalismo e seriedade. Realizar a manutenção predial periódica garante a valorização do imóvel, proporciona segurança para as pessoas, maquinários e equipamentos que ocupam o prédio.

 

A importância da manutenção predial

Deixar de realizar a manutenção predial pode ser considerada uma negligência. Afinal, ela evita a deterioração da estrutura, previne acidentes e minimiza o gasto com consertos.

A manutenção preventiva deve ser feita periodicamente para, como o nome já diz, prevenir futuros inconvenientes e gastos desnecessários. Assim você mantém o seu negócio de forma mais rentável e segura.

Pense bem, quanto valor está agregado embaixo do telhado do seu prédio comercial. É fundamental cuidar deste patrimônio, dos bens e dos recursos humanos que ele abriga.

Então, siga estas dicas:

 

1. Ar condicionado:

 

Além de manter a temperatura ambiente em um nível agradável para o conforto das pessoas que ocupam o prédio, o ar condicionado deve estar regulado corretamente para garantir o resfriamento e o bom funcionamento de equipamentos e maquinários.

Equipamentos de climatização desregulados podem causar danos às máquinas e provocar o aumento da mão de obra, aumentando também os custos da produção.

Manter a manutenção periódica e preventiva evita estes problemas, garante saúde e bem-estar aos colaboradores e prolonga a vida útil dos equipamentos.

 

2. Instalação elétrica:

 

Já imaginou o prejuízo que uma pane no sistema elétrico pode gerar em um prédio comercial? Além do estresse, falhas no sistema elétrico causam desperdício de dinheiro e de energia elétrica.

Manter um planejamento de manutenção periódica e a aquisição de materiais de qualidade para a alimentação de energia do prédio garantem o bom funcionamento de todas as atividades e redução na fatura de energia elétrica.

 

3. Itens de segurança:

 

Não espere por um acidente para descobrir que seu sistema de segurança tem falhas. Faça inspeções periódicas para verificar a condição das escadas, extintores de incêndio, iluminação de emergência e outros equipamentos do prédio.

Além disso, fique atento também à segurança patrimonial, mantendo o funcionamento de câmeras de vigilância, sistemas de travas de portas e portões eletrônicos.

 

4. Impermeabilização:

 

Imagine uma goteira bem em cima de um equipamento, vazamento no encanamento ou umidade gerada por infiltração. Nem pensar, não é mesmo? A infiltração pode trazer problemas graves tanto na estrutura do prédio, quanto aos maquinários instalados e à saúde das pessoas que ocupam o prédio.

Utilizar um sistema de impermeabilização de rápida aplicação, que não produza entulho e tenha garantia de resistência por muitos anos, é essencial para evitar infiltrações, dores de cabeça, gastos com conserto e troca de equipamentos.

Verifique frequentemente as instalações hidráulicas, para evitar entupimentos e vazamentos.

 

5. Profissionais capacitados:

 

Em todo serviço de manutenção, contrate sempre os profissionais especializados na área que necessita de reparos ou de prevenção. A qualificação dos profissionais contratados garante um serviço bem feito na primeira vez, evitando retrabalho e gastos desnecessários.

Além disso os profissionais já têm todo o equipamento necessário para a realização do reparo, sem comprometer a segurança com equipamentos inadequados ou colocar em risco a integridade física de alguém.

 

6. Invista na manutenção:

 

Você viu que a maioria das dicas é preventiva. Saiba que mais vale investir em prevenção do que correr atrás do prejuízo.

Vale a pena manter seu prédio comercial funcionando da maneira correta e sem riscos. Não é gasto, é investimento, seriedade e respeito para com todos os que utilizam o prédio.

Gostou das dicas? Gostaria de realizar um orçamento para plano para manutenção mensal? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: FiberSals