De casa de solteiro para lar do casal

Vamos ajudá-lo a passar de casa de solteiro para lar do casal. Viva o amor!

 

 

Você vai se casar? Sim, sabemos que não é fácil tomar uma decisão e, agora que você a tomou, não o abandonaremos. Queremos ajudá-lo a transformar a sua casa de solteiro em um lar para o casal. Você nos permite?

Primeiramente, você deve considerar que, a partir de agora, terá que fazer concessões. As decisões não serão mais tomadas apenas por você e, por esse motivo, terá que aprender a ouvir e procurar soluções para que a casa seja confortável para os dois.

Uma casa mais madura

 

 

Começamos esclarecendo que, com isso, não estamos dizendo para você se tornar clássico ou monótono, ou renunciar aos seus gostos particulares, mas dar uma ordem e um sentido à estética da sua casa.

Trata-se de definir o seu estilo: se você gosta mais do estilo nórdico, se prefere o estilo industrial ou se, pelo contrário, gosta da decoração mais zen. É dessa maneira que você será capaz de dar uniformidade ao restante do ambiente.

Espaço para os dois

Para passar de casa de solteiro para lar do casal, é essencial que ambos tenham os seus espaços muito bem definidos ou, caso contrário, haverá problemas. Na vida em casal, podem aparecer algumas complicações.

Você precisará de móveis e acessórios que adicionem funcionalidade à sua casa. Por exemplo, as prateleiras Kallax da IKEA, são uma opção muito recomendável, pois elas são bonitas e muito práticas.

Espaço pessoal

Viver em casal não significa que você deva ficar grudado com o seu amor o dia todo. Lembre-se de que o lar é aquele lugar onde nos sentimos seguros e confortáveis, por isso é importante ter espaços de solidão.

Ao passar de casa de solteiro para lar do casal, não se esqueça de encontrar ambientes nos quais cada um de vocês possa desenvolver os seus hobbies sem precisar estar juntos o tempo todo. Isto é super saudável. Existe até mesmo quem goste de dormir em quartos separados… por que não?

Os lugares comuns

 

 

Ao passar de casa de solteiro para lar do casal é imprescindível organizar muito bem o espaço comum: a distribuição, a decoração, etc. Embora não seja fácil, aproveite a oportunidade para colocar em prática as suas habilidades de comunicação.

Por isso é muito importante deixar um local tranquilo em casa, onde vocês possam se sentar e conversar. É necessário evitar que isso seja feito no quarto, procurando assim um espaço sem distrações e fazendo dele um local quente e aconchegante, com uma atmosfera na qual existam boas energias.

De casa de solteiro para lar do casal: o quarto

Sem dúvida, este é um dos lugares mais importantes em um ninho de amor: o quarto. Este é o lugar onde a intimidade será a protagonista, por isso, esforce-se para criar um refúgio limpo e sem barulho. Tenha em mente que é necessário promover um ambiente que favoreça o sono e a intimidade.

Aqui é importante que a decoração agrade aos dois; vocês certamente encontrarão uma maneira de fazer isso. Caso contrário, é melhor escolher um estilo mais neutro, com cores suaves e uma decoração menos marcante. Isso fará com que ambos se sintam em casa.

Agora é a hora do trabalho em equipe

 

 

A cozinha é outro lugar onde vocês terão muitos momentos de convivência. Será necessário compartilhar atividades, por isso, o ideal seria ter uma cozinha grande.

Procure ter uma bancada livre, mantendo-a sempre arrumada e certificando-se de que a geladeira esteja limpa e bem organizada.

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Dicas Decorativas

REFORMA E DECORAÇÃO: DICAS DE OURO

Está pensando em reformar? Muita atenção ao planejamento que antecede a decoração. Isso porque é necessário levar em consideração a análise adequada de cada espaço, ambiente e objeto decorativo.

Para ajudar você nessa tarefa, separamos algumas dicas primordiais, com pleno destaque às medidas. Por exemplo: você sabe qual é a altura ideal da pia do banheiro?

 

1. Lembre-se: o primeiro passo é medir todos os espaços

Antes de ir à loja, meça com a trena o tamanho dos móveis e a distância necessária entre eles para conseguir circular. Nunca confie somente na sua percepção visual, senão você pode acabar comprando um sofá que não cabe na sala.

2. Dança das cadeiras

 

Para garantir uma boa circulação, as cadeiras da mesa de jantar precisam de um recuo mínimo de 60 cm. Se você não tem esse espaço, opte pelo uso de bancos encostados na parede.

3. Cortinas exigem espaço

Deixar um vão muito pequeno no forro de gesso para instalar a cortina é um risco, porque o espaço necessário varia de acordo com o modelo escolhido. Cortinas com trilho precisam de, no mínimo, 10 cm de vão. Já a romana pede uma distância de 12 cm ou mais.

4. O tamanho da porta

 

 

A porta de entrada deve ser a mais larga de todas, com no mínimo 80 cm para permitir a entrada de móveis e compras.

5. Tomadas

Existe um padrão para a altura de interruptores e tomadas – o interruptor deve ser instalado a 1,10 m de altura, e a tomada, a 30 cm do chão.

6. Medidas básicas

 

 

Para garantir uma boa noite de sono, o cuidado com a circulação no quarto deve ser redobrado. A distância da cama até a parede ou até o armário deve ser de, no mínimo, 70 cm, e a altura da cama deve variar de 45 a 55 cm.

7. Passado e engomado

Os armários com portas comuns devem ter, no mínimo, 55 cm de profundidade. Já os com porta de correr, 60 cm. Medidas inferiores a essas farão com que suas roupas fiquem amassadas.

8. A cuba ideal

 

 

Sobreposta, de semi encaixe ou de encaixe. Escolha a cuba antes de reformar o banheiro, porque ela influencia a altura do ponto de água e da bancada, que deve ficar a 85 cm do chão. Dependendo do modelo, a bancada deve ficar mais baixa.

9. Coifa segura

A distância mínima entre a coifa e os queimadores do fogão é de 65 cm para os fogões elétricos. No caso de modelos a gás ou combinados, a distância pode variar de 70 a 80 cm – em nenhum dos casos ultrapasse os 80 cm. O ponto de energia deve ficar no centro da instalação da coifa, a 2,20 m do piso, ou vir pelo forro de gesso, passando por dentro do duto.

10. Pia na altura certa

 

 

Quando se fala em ergonomia, qualquer centímetro faz muita diferença. Não subestime uma diferença de 5 cm, por exemplo, porque é isso que vai proporcionar conforto ou não. A bancada da cozinha, em geral, deve ter 90 cm de altura.

Dicas bem espertas, não é mesmo?

Mas, a nossa principal sugestão é: analise bem as suas economias e veja se não é possível contratar um profissional para ajudar na reforma. O investimento vale à pena para que tudo fique do jeito que você sempre sonhou!

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Casa e Jardim

Aprenda como evitar 5 erros de reforma que podem custar caro

Orientar o tempo e os custos é o primeiro passo para gerenciar a renovação da casa

 

 

Reformar sempre é um momento emocionante, mas caro. E pode ficar ainda mais dispendioso quando as coisas dão errado. Quem já passou por uma renovação na casa sabe que realmente o orçamento pode ir às alturas do dia para a noite. Orientar o tempo e os custos é o primeiro passo no gerenciamento de expectativas, sem mencionar a conta bancária. Anote algumas dicas para ter a casa dos sonhos sem sofrimento.

 

1. Prepare-se para as taxas

A solicitação de licenças e permissões (instalações hidráulicas, elétricas, modificações na planta) é geralmente o primeiro passo necessário em qualquer processo de renovação, mas as taxas costumam pegar os desavisados de surpresa. Então, antes de começar a quebradeira, verifique junto aos órgãos competentes o que será preciso e quanto custa.

 

2. Fique longe se puder

Imagine lidar com a reforma diariamente em sua casa. Isso pode ser bem desorientador, não apenas pela sujeira e bagunça, mas também pelo exército de pessoas trabalhando ao seu redor. Em vez de usar o cheque especial à beira de um ataque de nervos de última hora, faça um orçamento em hotel ou Airbnb e coloque na conta de reforma ou planeje morar com amigos ou familiares pelo menos durante a quebradeira.

 

3. Não se apaixone pelo novo

Nem sempre o que reluz é ouro. Portanto, muito cuidado com aqueles materiais que sonhou a vida toda, mas talvez não condizem com seu dia a dia de uso e manutenção. Os materiais naturais e de alta manutenção, como alguns tipos de pedra, mostram desgaste ao longo do tempo e parecem muito diferentes um ano depois comparado ao primeiro dia de instalação. Como aquele tênis novo branquinho, que a gente sabe que será impossível manter intacto. Então pesquise bem os materiais para descobrir seus prós e contras, além do custo-benefício antes do veredito final.

 

4. Reserve para contingências

Reserve uma parte do orçamento, entre 10% a 15%, segundos especialistas, para imprevistos – no caso de uma inspeção inesperada ou de um vazamento encontrado atrás da parede do chuveiro. Essas ocorrências não planejadas são o que frequentemente acabam com os budgets e estendem os prazos.

 

5. Escolha acabamentos no início

A pressão da decisão é bem real. Podem parecer pequenos detalhes, como torneiras, acessórios e acabamentos (o grande número de opções e combinações é entorpecedor), mas são itens que causam grande impacto, tanto no bolso quanto no visual. Então não é uma boa ideia adiar até o final do projeto quando você pode estar cansado e sujeito a ter de fazer concessões por conta do estouro de orçamento e da falta de paciência.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Revista Casa e Jardim

Tipos de Esquadrias

Com estas dicas você vai descobrir o melhor modelo e material para portas e janelas e como dividir ambientes com esquadrias

 

 

Acredite se quiser, todo mundo já viu uma esquadria! O termo arquitetônico faz referência a nada mais que as aberturas de uma construção. Ou seja, janelas, venezianas, portas e portões contam como esquadrias na obra e, dependendo dos modelos e materiais escolhidos, podem corresponder de 9% a 18% do orçamento total.

 

1. Portas

 

 

Fundamentais para a circulação adequada, as portas podem ser de modelos e materiais variados, conforme o que a situação e o ambiente pedem. Os tipos mais comuns são tradicional, porta-balcão, holandesa, pivotante, camarão, sanfonada, de correr, veneziana, vai-e-vem e basculante. Variam entre elas o número de folhas, o mecanismo, o vão de abertura e os acabamentos.

Entre os materiais, destacam-se madeira, MDF, ferro, aço, PVC, vidro, alumínio e ACM (material de alumínio composto). Cada um tem sua aplicação, considerando manutenção, limpeza, leveza, custo, resistência, segurança e isolamento acústico.

 

2. Janelas

 

 

Cada ambiente pede um determinado tipo de janela, então, é importante entender as necessidades de cada um. Quando se trata de um apartamento, a janela deve atender às especificações do condomínio, por exemplo.

Entre os modelos mais comuns de janelas estão basculante, pivotante, máximo-ar, guilhotina, de abrir, de correr e venezianas. Já os materiais costumam variar entre madeira, alumínio, aço, ferro, PVC e vidro temperado. Se a ideia é adquirir um modelo de pronta-entrega, é preciso estar atento às dimensões disponíveis, que variam conforme a região.

 

3. Divisão de Ambientes

 

 

Você já deve ter notado que muitas paredes podem fazer um ambiente parecer menor e dificultar a circulação. As esquadrias acabam sendo uma ótima saída para arejar e conferir amplitude a pequenos espaços.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Revista Casa e Jardim

6 dicas para iluminar ambientes com paredes escuras

Paredes escuras esbanjam personalidade. Para você não ter medo de ousar nas cores, as dicas abaixo te ensinam a decorar ambientes com superfícies de tons fechados, sem comprometer a iluminação

 

 

Um cômodo com paredes escuras não é sinônimo de um ambiente pouco iluminado. Apesar do branco refletir a luz, os tons fechados também devem ter a sua vez dentro de casa: eles são ótimos para dar personalidade e fugir do comum. Superfícies cobertas com tintas em nuances como azul-marinho, chumbo e até preto podem ser versáteis, sim! As dicas abaixo vão te ajudar a clarear e refrescar ambientes do tipo.

 

1. Toques de cores claras e vivas

Tapetes, móveis e até acessórios claros podem contrapor paredes escuras, deixando o cômodo mais moderno. Você pode se jogar no off-white sem medo, mas as nuances mais alegres e ousadas ajudam a trazer vida. Não estamos dizendo que você não pode apostar em peças de cores fechadas na decoração, porém elas tendem a ficar melhor em espaços com bastante luz natural.

 

 

2. Não pinte tudo

Se você teme um visual pesado, não complete as paredes do teto ao chão. Aposte em boiseries e relevos para trazer leveza e não escurecer tanto o ambiente, mas deixe a cor dominar a maior parte da superfície para que ela seja protagonista na decoração.

 

3. Cortinas permeáveis

Abuse de toda a luz natural que você tiver disponível. Mas, caso você precise de um pouco de privacidade, opte por cortinas com tecidos permeáveis e leves, que deixem a claridade passar, mesmo quando fechadas. No caso dos dormitórios que precisam do modelo blackout, opte pelas persianas, uma vez que, quando abertas, elas ficam bem disfarçadas, próximas ao teto.

 

 

4. Combinação com papel de parede

Aposte em uma superfície escura lisa e outra com papel de parede. Mesmo que a estampa também seja fechada, eles são responsáveis por trazer vida para o cômodo, tirando-o da monotonia. Para alcançar a combinação prefeita é necessário sobrepor diferentes opções. Uma dica é optar por cores com a saturação aproximada.

 

5. Iluminação indireta

Pendentes variados, arandelas e luminárias ajudam a criar cenários aconchegantes dentro de casa. Caso você tenha um teto claro com a parede escura, opte por acessórios que emitam a luz para cima, uma vez que a claridade chegará na extremidade mais alta e será refletida para o resto do cômodo. O trilho eletrificado com spots também é uma boa saída, uma vez que as lâmpadas ficam voltadas para diferentes regiões.

 

 

6. Vá de verde

Plantas refrescam não somente o ar, mas também o visual. Elas tornam os ambientes mais convidativos com muita leveza, trabalhando em contraponto com as paredes escuras. Escolha vasos bonitos e em tons vivos para colaborar com a tarefa.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Revista Casa e Jardim