Saiba como limpar caixa d’água de forma simples e eficaz

Você sabia que, mesmo contando com um bom sistema de abastecimento, todos os moradores devem aprender como limpar caixa d’água? De tempos em tempos, esse tipo de reservatório pode acumular alguns resíduos, necessitando de uma faxina completa e capaz de eliminar a sujeira e evitar o entupimento dos canos.

Com essa prática, será possível manter o local sempre higienizado e, inclusive, proteger a saúde de toda a sua família. Ainda assim, são poucas as pessoas que sabem como “colocar a mão na massa”.

Mas vamos te dizer uma coisa: saber como limpar caixa d’água é menos complicado do que parece e qualquer indivíduo pode realizar essa tarefa sozinho. Tudo o que você precisará, é utilizar as ferramentas adequadas e, principalmente, ter bastante disposição e atenção.

E caso não faça ideia por onde começar, fique tranquilo! Pensando nisso, trouxemos para o post de hoje diversas dicas sobre como limpar caixa d’água da melhor e mais simples maneira. É só acompanhar a leitura e ficar por dentro!

 

Por que é tão importante limpar a caixa d’água?

Em casa, usamos a água para diversas finalidades — seja para beber, lavar os alimentos, tomar banho ou, inclusive, higienizar o ambiente. E para que consigamos aproveitar essa água, ela deve ser limpa e estar devidamente armazenada em uma caixa d’água bem estruturada.

Por isso, saber como limpar caixa d’água é tão importante. É seguindo os passos corretos que você fará uma limpeza adequada para aproveitar a água que chega até dentro da sua casa de forma saudável.

Quando isso não acontece, corremos o perigo de entrar em contato com um material contaminado que, por sua vez, é capaz de afetar toda a família, causando uma série de doenças graves, como a cólera e a leptospirose. Ou seja, um verdadeiro perigo!

Como uma maneira de evitar esse cenário, alguns moradores têm o hábito de limpar o local anualmente. No entanto, embora não pareça, essa prática não é a mais recomendada e pode ser ineficiente para manter os indivíduos longe dos problemas de saúde. Além disso, nem todo mundo sabe, realmente, como limpar caixa d’água de forma eficaz.

O ideal, é que a caixa d’água seja higienizada completamente, pelo menos, duas vezes ao ano e da maneira correta. Fora isso, é de extrema relevância que a sua estrutura esteja sempre fechada, impedindo assim, a proliferação de mosquitos e outros agentes responsáveis por transmitir doenças.

 

Como limpar caixa d’água da forma correta?

Após descobrir a importância de manter o local higienizado, chegou o momento de aprender como limpar caixa d’água e garantir a saúde de toda a família. A boa notícia é que essa tarefa, apesar de exigir atenção, é simples e acessível. Basta seguir o nosso passo a passo:

 

 

Passo 1

Comece o processo fechando o registro de entrada de água. Essa etapa é essencial para evitar desperdícios e ajudar na limpeza.

 

Passo 2

Comece a esvaziar o reservatório. Para não deixar a família sem água durante o seu trabalho, considere reservar um pouco do líquido em baldes, garrafas e demais recipientes.

 

Passo 3

Não esvazie completamente a caixa d’água. Em vez disso, deixe, pelo menos, um palmo acumulado no reservatório. Quando atingir esse nível de água, feche completamente o registro de saída para que nenhum produto químico chegue nos canos da residência.

 

Passo 4

Agora você já pode iniciar a limpeza. O ideal é começar pelo fundo do local e, depois, higienizar as paredes. Esse processo pode ser feito com a ajuda de esponjas, panos limpos ou escovas.

 

Passo 5

Em hipótese alguma utilize produtos químicos durante a sua faxina — sabões e detergentes, por exemplo, devem ser deixados de lado. Toda a limpeza será realizada com o uso dos panos, esponjas ou escovas específicas para essa finalidade.

 

Passo 6

Feito isto, você já pode enxaguar o local e, com a ajuda dos panos limpos, remover toda a água que ficou acumulada na caixa. Lembre-se ainda, de jamais jogar o líquido sujo diretamente no encanamento da casa.

 

Passo 7

Abra o registro externo e permita que o reservatório se encha novamente. Ao longo dessa etapa, mantenha a saída de água tampada para a tubulação da casa.

 

Passo 8

Assim que a caixa estiver cheia, coloque 2 litros de água sanitária para a medida de 1.000 litros de água encanada. Espere, aproximadamente, 2 horas e não utilize o líquido armazenado durante esse período.

Feche o registro mais uma vez e abra a saída de água da estrutura para o encanamento, permitindo que a água “nova” desça pela tubulação. Vale ressaltar que essa água não pode ser utilizada pelos moradores — ela é indicada somente para ser reutilizada na faxina do lar ou nas descargas dos banheiros.

 

Passo 9

Por fim, você já poderá encher o reservatório novamente, abrindo o registro e permitindo que o abastecimento volte a funcionar. Finalize o processo tampando bem a caixa para evitar a entrada de mosquitos, sujeiras ou animais.

 

Pronto! Em poucos passos, você aprendeu como limpar caixa d’água adequadamente e garantir mais saúde para toda a família. Só não se esqueça de realizar esse processo a cada seis meses para que o funcionamento da estrutura nunca deixe a desejar.

 

Os benefícios de limpar a caixa d’água

Ainda em dúvida sobre os benefícios de saber como limpar caixa d’água corretamente? A seguir, listamos os principais deles para que você adote essa prática agora mesmo. Veja:

– saber como limpar caixa d’água é excelente para evitar que o encanamento fique entupido por conta do acúmulo de sujeira;
– você conseguirá proteger a sua família de diversas doenças, que vão desde intoxicações alimentares até problemas mais graves, como a dengue ou a leptospirose;
– você irá consumir uma água mais limpa e saudável;
– o sistema de abastecimento passará por uma manutenção constante, o que aumentará a sua vida útil;
– é uma prática econômica, que pode ser realizada por qualquer pessoa e não exige gastos elevados.

 

Quais os materiais necessários para realizar essa tarefa?

 

 

Saber como limpar caixa d’água é essencial, mas para conseguir alcançar um resultado satisfatório na limpeza, você também precisará contar com o auxílio de alguns produtos específicos. Portanto, tente já ir separando cada um desses materiais, para que nenhum item fique de fora durante o processo. São eles:

– um ou mais panos limpos;
– uma esponja;
– uma luva de borracha;
– uma escova composta por cerdas macias;
– água sanitária.

Atenção: evite utilizar materiais duros demais ao longo da atividade, como é o caso das vassouras ou esponjas de aço. Por serem extremamente ásperas, elas conseguem danificar a estrutura do reservatório, afetando diretamente a qualidade da água que será consumida pelos moradores da residência.

 

Quais cuidados tomar para evitar problemas?

Outro ponto importante é saber quais os cuidados necessários durante essa tarefa. Caso contrário, você correrá o risco de contaminar o reservatório, mesmo com a intenção de higienizá-lo.

O primeiro passo é não armazenar produtos químicos ou sujos perto do local, uma vez que eles podem entrar em contato com o líquido e prejudicar a sua rede de abastecimento.

O mesmo vale para o estoque de itens alimentícios. Quando guardados perto da caixa d’água, eles são grandes atrativos para ratos, baratas e outros animais portadores de doenças. Já ao finalizar a limpeza, certifique-se de que a estrutura está devidamente tampada para que nenhuma sujeira ou insetos consigam acessar o seu interior.

Procure ainda, não colocar nenhum elemento pesado sobre a tampa — tal atitude pode contribuir para que a superfície fique rachada ou, até mesmo, quebre. Com a cobertura e os cuidados necessários, será possível preservar a água do lar e garantir a sua qualidade em tempo integral.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Toca Obra

Conheça as 3 etapas da limpeza pós-obra e seus benefícios

 

Depois de pronta, uma construção precisa passar por alguns processos antes de efetivamente ocorrer a entrega das chaves do imóvel para o cliente. É vital que seja feita a vistoria do imóvel, pois só com ela será possível averiguar se a construção atingiu seus objetivos construtivos planejados no projeto. Mas, antes da vistoria é preciso realizar a limpeza pós-obra.

A limpeza é o primeiro passo a ser seguido depois que a construção termina. Não é apenas uma questão estética, visto que só depois dela será possível averiguar de forma completa a qualidade dos serviços realizados. É comum que, no momento da limpeza pós-obra, se descubra defeitos e vícios construtivos, seja um azulejo trincado ou com argamassa colada nele, ou mesmo uma parede com problemas na pintura e acabamento.

Portanto, é de suma importância realizar a limpeza, uma vez que ela funciona como uma pré vistoria. Mas, é preciso levar em conta que a limpeza pós-obra não é uma simples faxina, pois os materiais de construção, como por exemplo o cimento, o gesso e as tintas, geralmente geram entulhos e sujeiras de difícil remoção, sendo preciso utilizar equipamentos, técnicas e produtos específicos. Além de assegurar o correto descarte.

Para que não haja avaria durante a realização dos serviços, a limpeza pós-obra deve ser realizada com cuidado por profissionais experientes e treinados. Além disso, entregar uma obra limpa é um grande pré-requisito para obter a melhor satisfação dos clientes, assim é provável que eles recomendem para outras pessoas.

Confira abaixo as três etapas para uma limpeza pós-obra eficiente:

 

Como ter uma limpeza no pós-obra eficiente?

Tenha um planejamento definido

As etapas da limpeza começam no momento em que a obra está sendo projetada. Os profissionais responsáveis pelo planejamento devem pensar e especificar como será feita a gestão dos resíduos gerados pela construção. Assim, no momento do pós-obra a equipe responsável pela limpeza poderá descartar a sujeira e os entulhos apropriadamente.

Já na etapa da execução da construção é preciso que os profissionais que realizam a obra façam limpezas periódicas, tirando a sujeira mais pesada e descartando os maiores entulhos no momento em que são gerados.

Alguns materiais de construção se tornam muito mais difíceis de limpar com o passar do tempo, como é o caso das argamassas e do concreto, logo retirar esse tipo de sujeira durante a construção é muito mais eficiente. Assim, evita-se o acúmulo excessivo de sujeira no final da construção, agilizando a limpeza pós-obra.

 

Escolha os produtos, os equipamentos e as técnicas corretas

Como a limpeza pós-construção envolve uma sujeira de difícil remoção, é preciso escolher produtos que possibilitem a limpeza de maneira eficiente e ágil. Saber quais tipos de materiais foram utilizados na obra é essencial, já que alguns só saem com determinados solventes.

Ainda, alguns materiais podem ser danificados se forem limpos com o produto errado, como o alumínio, por exemplo, que não deve ser limpo com cloro. Assim, evita-se também o risco de prejudicar os acabamentos da edificação.

Além da escolha dos materiais, os métodos e equipamentos de limpeza devem ser adequados para cada situação. Algumas manchas só serão totalmente retiradas utilizando uma lavadora de alta pressão, por exemplo. Já em outros casos a sujeira pode se encontrar em lugares altos, o que acarretará na necessidade de utilizar escadas. Portanto, é necessário planejar e escolher os equipamentos e as técnicas de limpeza corretas antes de iniciar a limpeza pós-obra.

 

Opte por uma mão de obra especializada

De nada adianta escolher os melhores materiais e equipamentos se não houver uma mão de obra qualificada para realizar a limpeza. Os profissionais responsáveis devem conhecer os produtos, os métodos que serão utilizados e devem saber operar os equipamentos de limpeza. Assim o serviço será feito com qualidade e de forma produtiva.

As empresas podem optar por qualificar seus profissionais para o serviço de limpeza pós-construção, no entanto esse investimento pode ser alto. Sendo assim, uma opção é contratar empresas especializadas em limpeza de materiais de construção civil. Seja qual for a alternativa, a escolha dos profissionais responsáveis pela limpeza acarretará diretamente na qualidade, na produtividade e nos custos dessa etapa e da obra em geral.

A limpeza pós-obra e a inspeção de qualidade estão diretamente ligadas, já que a fim de se avaliar de maneira mais eficiente a condição da edificação é preciso que esteja completamente limpa.

A norma de desempenho NBR 15575:2013 da ABNT aborda que os profissionais responsáveis pela limpeza devem ser estimulados para detectar problemas, principalmente aqueles ligados ao desempenho térmico e acústico. Logo, o serviço vai além da limpeza e contempla também uma pré avaliação das condições da construção.

Um pós-obra eficiente deve contar com uma limpeza e inspeção de qualidade, pois isso evita que vícios ou defeitos construtivos passem despercebidos e resultem em um posterior serviço de assistência técnica pós-obra.

O recomendado é que todos os problemas estejam resolvidos antes da entrega do imóvel para o consumidor, fazendo com que a excelência da empresa responsável pela construção seja elevada e evitando retrabalhos e custos desnecessários.

Portanto, as empresas responsáveis pela construção de edificações precisam planejar e executar com atenção a etapa da limpeza pós-obra. Com a escolha correta dos materiais, equipamentos, técnicas e da mão de obra especializada, a limpeza terá o melhor rendimento e qualidade.

 

Ficou alguma dúvida sobre como realizar uma limpeza pós-obra? Tem alguma sugestão de como melhorar ainda mais essa etapa? Fique de olho nas nossas postagens ou comente aqui embaixo e não se esqueça de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Mobuss Construção

Veja dicas de como escolher entre modelos de paredes

Escolher entre os modelos de paredes é uma das etapas mais conhecidas e importantes de uma obra. As paredes são as responsáveis por dividir e organizar os ambientes, promover o isolamento térmico e acústico, além de protegerem a parte interna da edificação contra as intempéries.

Tratando-se de modelos de paredes, as pessoas geralmente pensam em “alvenaria de tijolos”, mas existem outras técnicas e matérias-primas para a construção de paredes que vale a pena você conhecer.

Separamos algumas informações valiosas sobre outros dois modelos de paredes muito usados atualmente, o drywall e o tijolo aparente.

Modelos de paredes de drywall

As paredes de drywall são aqueles modelos de paredes de gesso acartonado fixadas em perfis metálicos. Elas inclusive já ganharam o coração dos brasileiros e estão sendo cada vez mais adotadas em obras e reformas.

São poucas as pessoas que ainda resistem à praticidade desse sistema construtivo e questionam suas muitas vantagens. Ainda sim, duas dúvidas são muito frequentes no momento da escolha. Então, vamos resolvê-las:

Paredes de gesso aguentam peso?

A resposta é sim. No quesito resistência, a placa de gesso acartonado é capaz de suportar aparelhos pesados e muito mais. Inclusive, uma das maiores qualidades desses modelos de paredes é a ótima resistência a impactos e cargas suspensas, sendo ideal para ambientes internos e áreas secas.

Como funciona a instalação das paredes drywall?

A instalação de paredes de drywall deve ser feita por um profissional qualificado que entenda a necessidade de carga que sua parede precisa suportar, para então dimensionar o espaçamento entre um perfil metálico e outro, além de utilizar as buchas certas (buchas para paredes de gesso) na hora da fixação.

No caso dos modelos de paredes como as placas Habito, por exemplo, não é feito o uso de buchas. Por isso, não abra mão de encontrar um profissional capacitado para sua obra!

A descoberta de que uma tecnologia tão prática está ao seu alcance é animadora, não é mesmo? Mas essa não é a única alternativa à alvenaria tradicional, vamos conhecer agora os modelos de paredes de tijolo aparente.

Paredes de tijolo aparente

Ele encanta e surpreende logo no primeiro olhar. O tijolo aparente é um dos modelos de paredes que mais tem sido comentado ultimamente, ganhando de vez o coração de profissionais e entusiastas da decoração.

Ele combina com diversos estilos, do urbano industrial ao romântico cottage, sem jamais perder o charme. Se você também quer transformar as paredes de sua casa, confira as dicas a seguir e aprenda a usar o famoso revestimento tijolinho.

Crie composições incríveis!

Também conhecido por tijolo à vista, o tijolo aparente está entre os modelos de paredes mais rústicos, belos e originais. Eles permitem variação em cores, tamanhos e acabamentos.

Assim como na escolha pela pedra canjiquinha, é importante avaliar os tons e o estilo do ambiente para garantir que tudo fique harmonioso.

Você pode elaborar uma estética única com modelos do tipo tijolo comum, de demolição ou mesmo de cimento. Também é possível ter uma parede de tijolo aparente em locais externos, ambientes de passagem, como halls e corredores, ou, ainda, tijolinho aparente no quarto e na sala de estar, criando uma atmosfera acolhedora.

Cuidados na execução do tijolo aparente

Para o assentamento dos tijolos aparentes, a superfície deve ser nivelada. Você pode usar a multimassa uso geral e aplicar de forma a manter pelo menos 2 mm entre os tijolinhos.

Já o uso do rejunte permite opções, podendo ser aplicado de acordo com o estilo e o visual que você mais gosta.

Impermeabilização, uma etapa vital

Para esses modelos de paredes, tão importante quanto a aplicação é a impermeabilização, que é a responsável por garantir a facilidade na manutenção. A dica é realizá-la periodicamente, para manter as peças protegidas contra pó, água, fungos e outros agentes.

Além disso, impermeabilizar os tijolos ainda facilita a limpeza, destaca texturas e proporciona diferentes efeitos à superfície.

Antes de iniciar a impermeabilização, lixe as paredes com lixa 80 e limpe-as com jato de água para tirar a poeira e possíveis pontos de umidade, evitando manchas. Os impermeabilizantes mais indicados para essa fase são os vernizes à base de resina acrílica ou silicone líquido, que podem ser aplicados com uma trincha.

Aproveite a estrutura original!

Tire proveito de construções antigas, pois muitas são estruturadas com tijolos e são lindas! Além disso, é possível manter sua aparência original ou pintá-las com duas demãos de tinta látex ou acrílica branca, conferindo um estilo provençal. Antes, aplique uma camada de primer para que a superfície fique mais lisa!

Outro recurso que garante ainda mais personalidade ao cômodo é também deixar aparente a tubulação elétrica e até mesmo a hidráulica. Além de moderna, essa solução dá ao ambiente um jeito mais descolado e um apaixonante clima de loft.

Agora que você tem todas as informações para escolher entre esses dois modelos de paredes, que tal imaginar a decoração?

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Toca a Obra

Tem dúvida sobre acabamentos para casa? Veja 5 dicas para escolhê-los

Quem está construindo ou reformando tem que pensar em muita coisa, mas, sem dúvidas, escolher os acabamentos para casa pode ser uma das fases mais empolgantes de todo o projeto.

Isso porque os acabamentos são responsáveis pelo novo visual do lar e escolher cada item para ter o imóvel dos seus sonhos pode ser muito prazeroso. Além disso, é neste momento que você começa a deixar seu projeto com a sua cara!

Apesar do lado bom, escolher os acabamentos para casa também é uma responsabilidade e tanto.

Você já deve ter ouvido falar que estão entre os materiais mais caros da obra, não é mesmo? Eles também ficam ficam aparentes, influenciando no visual e no conforto dos moradores.

Além do aspecto estético, é preciso pensar na qualidade e durabilidade desses materiais – escolha muito bem eles, para que não seja preciso fazer uma nova reforma a curto prazo.

Quer saber como escolher entre os tipos de acabamento para casa sem errar? Confira 5 dicas que preparamos para você!

1. Principais materiais de acabamento para casa

O pedreiro fala uma coisa, o arquiteto outra, e você fica perdido na escolha dos materiais. Se identifica com essa situação? Não se preocupe, que estamos aqui para lhe ajudar.

Entenda mais sobre os principais nomes dos materiais que você vai encontrar ao escolher os acabamentos para casa:

Azulejo

É um dos mais simples e conhecidos revestimentos para pisos e paredes, especialmente para as áreas que precisam ser impermeabilizadas. Os azulejos podem ser de cerâmica, porcelana, tijolo, vinil e outros materiais.

Os tradicionais azulejos já podem ser substituídos por modelos mais modernos e criativos. Hoje em dia, é possível encontrar azulejos para todos os gostos e que se adaptam a projetos diversos.

Pastilhas

As pastilhas são um dos acabamentos para casa que têm uma função parecida com a dos azulejos, porém com um visual completamente diferente. A principal diferença está no tamanho das peças — as pastilhas geralmente medem entre 2 e 5 cm.

Ou seja, sabe aqueles revestimentos pequenos, geralmente coloridos e que são usados para dar um toque diferente ao ambiente? Essas são as pastilhas. Elas podem ser feitas de cerâmica, porcelana ou vidro.

Cerâmica

A cerâmica é a matéria-prima para muitos acabamentos para casa, especialmente para as pastilhas e azulejos. Ela tem o preço mais em conta quando comparada com outras opções, como o porcelanato.

A cerâmica é impermeável e fácil de limpar, sendo uma boa escolha para quem quer economia sem perder a funcionalidade e praticidade. No entanto, ela tem um aspecto mais rústico e as peças precisam ser instaladas com um espaçamento maior entre elas. Como resultado, a cerâmica deixa o rejunte mais aparente.

Porcelanato

O porcelanato geralmente é a escolha de quem quer dar um ar mais sofisticado ao ambiente. As peças podem ser instaladas bem próximas umas das outras, fazendo com que o rejunte praticamente desapareça.

Ele pode ser brilhante ou fosco e está disponível em várias cores. Uma boa dica é optar por um porcelanato mais escuro para os locais de grande circulação de pessoas, pois o material mancha com mais facilidade e a necessidade de limpeza constante pode se tornar um problema.

Cimento queimado

O cimento queimado é uma tendência da arquitetura atual e ajuda a dar um toque rústico ao ambiente sem perder a classe. É um revestimento relativamente barato, já que envolve basicamente areia, cimento e água.

O nome queimado não se refere a nenhum processo de queima, mas sim ao processo de jogar pó de cimento por cima da argamassa de cimento para ajudar no acabamento.

Madeira

Um dos materiais mais clássicos da construção, a madeira nunca perde seu charme. Quem optar por utilizar esse material em acabamentos para casa, precisa ficar atento à origem e à qualidade dele.

Além disso, dependendo do cômodo onde ela vai ser instalada, pode ser necessário fazer a impermeabilização para que a madeira dure mais tempo.

Laminados

Os laminados são uma alternativa mais barata à madeira maciça e caem muito bem no revestimento de pisos. Eles são boas opções, por exemplo, para quem não quer ter um piso frio nos quartos ou salas.

No entanto, vale a pena ficar atento a algumas desvantagens — os laminados não podem ser limpos com grandes quantidades de água e são menos resistentes que as madeiras e tacos. Por isso, evite instalá-los em locais com grande movimentação de pessoas e móveis.

Pedras

As pedras, tais como granito e mármore, também são excelentes materiais para enriquecer o acabamento. Como elas estão entre os tipos de acabamento mais caros do mercado, não precisam ser utilizadas em grandes quantidades.

As pedras são empregadas principalmente em detalhes, como em bancadas, soleiras, pias ou escadas.

Louças e metais

As louças e metais também entram na categoria de acabamento para casa. Aos escolher esses itens, priorize o conforto, a durabilidade e, claro, o estilo. Atualmente é possível encontrar pias e torneiras completamente não convencionais e que ajudam a dar um charme extra à sua casa.

Outro ponto importante aqui se refere à sustentabilidade. Priorize torneiras e descargas que utilizam menos água e ajudam na economia.

2. Fique de olho nas tendências

Ao escolher os acabamentos para casa, é preciso encontrar um meio termo entre apostar nas tendências e optar por itens duradouros. Deixe tendências mais extravagantes para móveis e acessórios que você pode trocar mais facilmente.

Para os acabamentos duradouros, prefira itens mais neutros e atemporais. No entanto, isso não quer dizer que você precisa ter um acabamento sem graça. Pelo contrário, existem muitos estilos e tendências que você pode adotar, tais como:

Estilo industrial — aposta em itens mais rústicos como cimento queimado, luminárias de aço e tubulações aparentes. É uma boa escolha para quem prefere um visual minimalista;

Tipos de acabamento retrô — utiliza cerâmicas desenhadas, tijolinho e outros itens que já foram sucesso no passado;

Revestimentos 3D — revestimentos que fogem do padrão normal de superfície plana e lisa. Oferecem texturas e relevos diversos, e podem ser usados em uma parede ou área pequena para incrementar o visual;

Formas geométricas — listras, hexágonos e diversas formas geométricas também são uma tendência bastante atual;

Iluminação em LED —– as lâmpadas LED são muito mais econômicas e duráveis, e estão presentes na maioria dos projetos atuais.

3. Não descuide da qualidade

Ao escolher acabamentos para casa, escolher o item mais barato pode ser tentador. No entanto, vale lembrar que o preço mais baixo pode estar ligado a uma qualidade também inferior.

É verdade que os acabamentos são um dos itens mais caros da obra, mas a durabilidade deles é essencial. Um material de boa qualidade será mais rápido e fácil de aplicar na obra, evitando desperdício e gastos extras com mão de obra.

Depois de instalados, a qualidade do material vai determinar sua durabilidade e aparência. Se comprar um item de baixa qualidade, há grandes chances de que ele se deteriore rapidamente e você tenha que reformar a casa em pouco tempo. Ou seja, o barato pode sair caro.

Portanto, preze pela qualidade e escolha itens de acabamento para casas de marcas reconhecidas e aprovadas pelos profissionais e clientes.

4. Fique atento às medidas

Acertar nas medidas dos materiais de acabamento pode ser mais simples do que você imagina. Basta tirar as medidas das paredes e pisos que você pretende revestir. Em caso de paredes, meça a largura e a altura e multiplique os dois valores para obter a área em m². Para os pisos, você deve multiplicar a largura pelo comprimento.

Basta somar as áreas de cada parede ou piso e você terá o total de m² necessários para o revestimento. Compre cerca de 10% de material extra, pois sempre acontecem algumas perdas.

Ao comprar louças e metais, pense também no tamanho do banheiro ou cozinha onde eles serão instalados. Uma pia enorme pode parecer linda na loja, mas se ela for desproporcional ao banheiro não vai ficar legal.

Essa dica também vale para os móveis e itens de decoração — tudo que você comprar precisa ser proporcional ao espaço onde será instalado.

5. Adapte os acabamentos para as necessidades de cada cômodo

A escolha dos tipos de acabamentos para casa depende também do cômodo onde eles vão ser instalados. Por isso, veja agora algumas dicas para cada ambiente:

Quartos

Pedem materiais de acabamento mais aconchegantes e preferência por pisos menos frios. Laminados ou madeira são uma ótima escolha. Nas janelas, boas cortinas são fundamentais. Preferência por iluminação mais quente, menos branca.

Salas

Devem ser mais flexíveis, pois precisam se adaptar tanto para atividades de descanso, como assistir um filme, quanto para receber visitas, servir jantares etc. A iluminação deve, portanto, oferecer as duas possibilidades. Isso pode ser alcançado utilizando luminárias, lustres, spots de luz e lâmpadas diversas.

Para o piso, porcelanatos e azulejos são boas pedidas, assim como madeira e taco. Laminados não são a melhor escolha para salas de jantar, pois a movimentação constante das cadeiras pode danificar o material. Nesse caso, pense em adicionar um tapete grande no ambiente, protegendo o piso.

Cozinha e banheiro

Pedem revestimentos impermeáveis e funcionais e as pastilhas são uma ótima pedida para ajudar na decoração. No banheiro, tenha cuidado com os pisos que podem ficar escorregadios quando molhados.

Áreas externas

Varandas e jardins pedem materiais resistentes à chuva e ao sol, por isso, fique de olho na indicação do fabricante. Na área da piscina, cuidado redobrado para não optar por pisos escorregadios.

Enfim, escolher os acabamentos para casa é um trabalho grande, mas também pode ser prazeroso. Aproveite essa etapa para escolher itens que deixarão sua casa com a sua cara. Para acertar nas escolhas, busque, além da beleza, qualidade, durabilidade e funcionalidade.

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Toca Obra