Reforma de apartamento: o que NÃO fazer nesse processo!

Uma reforma de apartamento pode ser um momento de muita alegria, afinal, você está deixando seu lar mais bonito, moderno e com a sua cara. No entanto, esse momento de realização de um sonho pode se tornar um pesadelo para algumas pessoas.

Você com certeza conhece histórias de obras cheias de problemas, gastos além do esperado e resultados nem sempre satisfatórios. A boa notícia é que esse não precisa ser o seu caso.

Tomando alguns cuidados, a sua reforma de apartamento pode acontecer sem transtornos. Quer ficar longe dos problemas e erros mais comuns? Veja agora o que NÃO fazer durante a remodelação do seu lar!

Deixar de fazer um planejamento das etapas da reforma

Muita gente que não tem experiência com uma reforma de apartamento, tem a impressão de que dá para começar a obra e solucionar os problemas conforme eles forem aparecendo.

O erro dessa abordagem é que ela leva a problemas muito maiores do que o esperado e, geralmente, traz consigo muitos gastos desnecessários, além de atrasos na obra. Para evitar tudo isso, o planejamento é fundamental. Antes de começar, tenha um panorama completo da obra, incluindo registros como:

– quais serviços serão realizados;
– ordem de execução das etapas da obra;
– quantidade de dias e funcionários necessários para cada atividade;
– quais documentos deverão ser obtidos;
– quantidade de material a ser comprada;
– prazos de entrega de cada fornecedor e quando a compra deve ser feita para chegar na hora certa;
– orçamento disponível;
– projetos de engenharia, arquitetura, elétrico ou hidráulicos, conforme a necessidade da reforma.

Ou seja, a reforma de apartamento começa bem antes de colocar a mão na massa. Antes de dar início aos trabalhos, dedique um tempo ao planejamento e você terá muito menos imprevistos.

Não dar importância ao orçamento antes e durante uma reforma de apartamento

Se você começou pelo planejamento, certamente já sabe quanto de dinheiro tem disponível à vista, em cartão de crédito e, possivelmente, com um financiamento para sua reforma de apartamento. E esse já é um bom começo.

Agora, é hora de orçar cada material e de acompanhar os gastos da obra dia a dia. Sabendo qual é o orçamento de reforma total da obra, divida o valor entre os diversos itens, como mão de obra, projeto, compra de material básico, acabamento etc.

Lembre-se, ainda, de reservar uma parte do dinheiro, pelo menos 10%, para os gastos não previstos, pois eles sempre existem.

Se você nunca fez uma reforma de apartamento, é bom contar com um engenheiro ou arquiteto experiente para fazer previsões acertadas sobre os custos da obra.

Outro ponto fundamental é pesquisar e comparar o preço de cada item em diversas lojas, comprando onde for mais vantajoso. Caso você não contrate um profissional, essa pesquisa deve ser ainda mais extensiva para que o orçamento de reforma seja previsto corretamente.

Uma vez escolhidos os fornecedores, é hora de anotar os gastos que vão sendo concretizados a cada dia e comparar com os valores planejados. Se algum dos itens tiver um custo acima do esperado, é bom ver imediatamente onde é possível economizar. Dessa forma, o custo total não será ultrapassado.

É importante fazer esse controle frequentemente ao longo da reforma. Se você deixar para somar tudo no fim, pode ter surpresas desagradáveis e acabar se endividando.

Usar materiais de baixa qualidade ou errar na quantidade

Falando em orçamento de reforma, você provavelmente vai querer economizar em muitos itens, o que é perfeitamente normal e até desejado. Porém, em muitos casos, não vale a pena economizar comprando um material de qualidade inferior.

A qualidade do matéria-prima interfere na durabilidade dele, podendo até mesmo prejudicar a aplicação do material durante a obra, gerando mais desperdício e maior gasto com mão de obra. Por isso, eleja sempre materiais de qualidade.

Se quiser economizar no material de construção, você pode procurar outras alternativas. Por exemplo, usar um revestimento mais simples, ou revitalizar alguns dos itens antigos para aproveitar no apartamento depois da reforma.

Outra dica é usar o mesmo tipo de piso ou revestimento em vários cômodos. Assim, você pode comprar em maior quantidade e negociar um preço melhor.

E, falando em quantidade, também dá para economizar em materiais de construção se você calcular a quantidade correta. Nem para mais nem para menos. Comprando apenas a quantidade necessária, você garante que não vai faltar material e que não terá gastos desnecessários e sobras ao final da obra.

Conduzir uma reforma de apartamento sem a devida supervisão

Você pode contratar a melhor equipe de obra disponível, mas sem a devida supervisão as chances de que o resultado não saia como esperado são grandes. Mesmo com um projeto feito por um engenheiro ou arquiteto em mãos, é possível haver mal entendidos e desvios do projeto original.

Por isso, é importante que um engenheiro ou arquiteto de obras acompanhe de perto a execução de cada etapa. Aqui vão algumas dicas para evitar problemas nesse sentido:

– dê comandos claros e objetivos;
– não assuma que algo será automaticamente entendido — comunique as suas expectativas;
– mesmo que já esteja no projeto, repasse junto com a pessoa que vai executar onde deverão ser instalados itens como tomadas, lâmpadas, ralos, torneiras etc;
– lembre a equipe de fazer o caimento certo para que a água seja direcionada para os ralos e não se acumule em outras áreas do banheiro, cozinha ou jardim.

Uma boa ideia é tirar férias do trabalho durante a obra e, se você não puder fazer isso, contratar uma pessoa de confiança. Se essa também não for uma opção, tente passar na obra todos os dias logo de manhã antes de ir trabalhar, e deixe seu número de telefone com a pessoa responsável.

É melhor ficar disponível e solucionar dúvidas sempre que necessário do que deixar a equipe trabalhar sozinha e, possivelmente, cometer erros.

Começar uma reforma de apartamento sem as devidas autorizações

Esquecer da parte burocrática pode gerar não apenas atrasos na obra, mas também gastos extras, multas e até mesmo punições legais. Antes de reformar, verifique quais são as regras do condomínio e as regras da prefeitura para a execução de uma reforma de apartamento.

Muitas vezes, será preciso obter a aprovação do projeto e reforma por meio de um Registro de Responsabilidade Técnica (RT), feito por arquiteto ou engenheiro. Qualquer reforma elétrica, hidráulica, abertura ou fechamento de vãos, entre outras atividades, requerem essa aprovação.

Todas essas exigências são descritas na Norma de Reformas da ABNT (NBR 16.280, de 2015). O condomínio também pode impor regras próprias para a realização de reformas, como a autorização de entrada de pessoal e definição dos horários permitidos. Portanto, sempre consulte o síndico para evitar transtornos.

Escolher móveis com medidas ou cores erradas

Os móveis e outros itens de decoração são a cereja do bolo da reforma de apartamento e também devem ser planejados e pensados com antecedência. Antes de sair às compras, faça um layout dos cômodos com as medidas e veja onde posicionar os móveis, bem como os tamanhos mínimos e máximos que eles devem ter.

É importante deixar espaço suficiente para a circulação e tomar cuidado para não exagerar nos móveis. Muitos móveis num espaço pequeno dão a impressão de que o lugar é ainda menor.

Ao comprar sofás, máquinas de lavar, fogão, geladeira e outros itens maiores, verifique também se eles vão passar no vão das portas ou no elevador.

Outro detalhe importante é combinar os móveis com o restante da decoração. Pense na cor das paredes, revestimentos e bancadas, por exemplo. Com isso em mente, compre sofás, tapetes, cadeiras e outros móveis que harmonizam entre si e com os demais itens.

Apostar em tendências passageiras

Falando em combinar cores e estilos, outro erro comum em reformas de apartamento é escolher uma tendência passageira para um item que tem durabilidade de muitos anos.

Para os itens duráveis, como revestimentos, pisos, cozinha, entre outros, é melhor escolher algo mais neutro e atemporal. Assim, você não corre o risco de enjoar e querer reformar de novo em pouco tempo.

Já nos sofás, quadros, mesas, cadeiras, papéis de parede e qualquer outro acessório de decoração, você pode ousar mais e apostar em tendências. Se a moda passar ou você cansar de uma cor específica, fica muito mais fácil dar uma cara nova ao seu lar.

Não focar nos projetos elétrico, hidráulico e de iluminação

Se você está pensando que uma reforma de apartamento pode ser motivada apenas porque se cansou da cor de uma parede, porque as portas estão ultrapassadas, o piso está desgastado, ou por causa de qualquer outro item estético, tome cuidado para não esquecer outros aspectos importantes.

Já que você vai reformar, é bom pensar também nos itens mais funcionais do seu apartamento, especialmente as conexões elétricas e hidráulicas. É bom revisar tudo e substituir eventuais itens danificados. Especialmente se você vai instalar ar-condicionado ou aquecedores, a aprovação de um profissional é essencial.

Pensando em sustentabilidade e economia, também vale trocar torneiras e descargas antigas por modelos mais novos, que garantem menor consumo de água.

Outro tópico que pode ser revisto é o projeto de iluminação. Em uma reforma de apartamento, aproveite para rever também essa parte. Adicionar pontos de luz em lugares estratégicos e escolher as lâmpadas certas podem dar outra cara para a sua casa, além de garantir mais conforto e praticidade.

Como vimos, os principais erros numa reforma de apartamento estão ligados à falta de planejamento e organização, à falta de orientação por profissionais qualificados e ao uso dos materiais errados.

Portanto, não economize no que não deve, ou o barato pode sair caro. Tenha bons profissionais ao seu lado, fornecedores competentes e materiais de qualidade.

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Aprenda como fazer orçamento de obra

Se você está planejando construir ou reformar, provavelmente está preocupado com os gastos que vai ter. Para acertar nas previsões, é preciso entender como fazer orçamento de obra e o que levar em conta na hora de calcular os gastos.

Se você já fez alguma obra sem o orçamento, provavelmente teve surpresas desagradáveis com os custos. Mesmo quem nunca fez uma reforma ou obra já ouviu falar sobre os contratempos desse tipo de intervenção.

A boa notícia é que fazendo o orçamento e o planejamento da forma correta, muitos desses problemas podem ser evitados.

Veja agora porque é importante cuidar desse tema e como fazer orçamento de obra!

A importância de fazer um orçamento de obra

O orçamento da obra é um momento crucial, pois é nele que se avalia se o dinheiro disponível realmente é suficiente para fazer tudo aquilo que é desejado. Se você começar a construir sem nem mesmo saber como fazer orçamento de obra, provavelmente vai estar em apuros em breve.

O primeiro ponto é saber quanto você tem disponível entre dinheiro guardado, cartões de crédito e eventualmente algum empréstimo ou financiamento. Esse valor deve ser seu objetivo limite, e você vai adaptar sua obra a ele. Fazer um orçamento é importante para:

– Garantir que você não gaste mais do que pode e entre em dívidas inesperadas;
– Assegurar que os itens mais importantes tenham prioridade e sejam executados, caso o orçamento não consiga englobar todos os itens desejados;
– Adaptar a construção à sua realidade financeira, trocando alguns itens e materiais para que caibam no seu bolso;
– Reduzir imprevistos e surpresas desagradáveis.

Enfim, saber como fazer orçamento de obra é uma premissa para qualquer pessoa que deseja construir ou reformar. Até mesmo profissionais de obra cometem o erro de não calcular corretamente os valores, mas isso não precisa acontecer com você.

Como fazer orçamento de obra

Agora que você já entendeu a importância dos planejamentos de custos para qualquer obra, é hora de começar a fazer as contas. Veja passo a passo como fazer orçamento de obra!

1. Determine o que vai ser feito na obra

O passo fundamental é determinar exatamente o que vai ser feito na obra. Se for uma construção do zero, você tem que ter um projeto completo assinado por um engenheiro.

Nesse projeto devem constar todas as informações sobre o imóvel a ser construído, áreas de cada cômodo, todos os materiais a serem utilizados, como o cal, gesso e até mesmo as lâmpadas, e assim por diante.

No caso de uma reforma, não necessariamente você precisa de um projeto completo. Se a reforma for apenas do ponto de vista estético, como renovação da pintura ou a troca de revestimentos, você pode fazer esse levantamento por conta própria.

Porém, vale dizer que a participação de um profissional como arquiteto, engenheiro ou decorador sempre agrega valor e eles geralmente têm uma boa ideia de como fazer orçamento de obra, o que pode ajudar você a economizar.

De todo jeito, com ou sem a supervisão de um profissional é importante determinar o escopo da obra. Antes de começar o orçamento, tenha uma decisão clara do que deve ser feito.

Você também pode separar os itens de acordo com a prioridade, de forma que você consiga destinar o dinheiro primeiro para aquilo que é mais importante.

2. Calcule as quantidades de material

Sabendo o que deve ser feito, é hora de calcular os materiais que serão gastos.

Para azulejos, revestimentos, pintura, e tudo mais que envolve pisos e paredes, você precisa saber a área onde será aplicada.

Para calcular a área de uma parede você deve multiplicar a largura pela altura. Se quiser ser mais preciso, você pode calcular a área das portas e janelas e descontar do resultado da primeira multiplicação. Para o piso, você precisa da largura e do comprimento.

Multiplique as duas medidas em metros e você terá a área em m². Como sempre há perdas e quebras, aumente a área encontrada em 10%. Some os valores da área de cada piso e você terá a área total do piso do imóvel. Com esse valor você já sabe a área de cada tipo de piso, azulejo, porcelanato ou revestimento que deve comprar.

Para as tintas, você deve somar as áreas das paredes e ainda multiplicar a área total número de demãos — geralmente são necessárias duas. Então, você multiplica a área das paredes por 2 e terá a área total a ser pintada.

O rendimento da tinta em m²/l costuma ser indicado pelo fabricante na embalagem. Você divide o rendimento indicado pela área total a ser pintada para saber quantos litros precisa comprar.

Para tijolos, o cálculo é parecido. Você precisa da área da parede a ser levantada e a medida de cada tijolo — isso depende de qual tipo de tijolo será usado. Dividindo a área da parede pela área de um tijolo você sabe quantos tijolos comprar.

Para outros itens como, cimento, areia, massa corrida, aço, entre outros, o valor vai variar de acordo com os detalhes técnicos da obra.

Você pode utilizar o auxílio de um profissional de engenharia ou arquitetura, um mestre de obras ou até mesmo dos vendedores das lojas de material de construção, pois eles têm uma boa ideia da quantidade e de como fazer orçamento de obra. Em todo caso, é importante sempre saber as áreas onde cada material será aplicado.

Não esqueça de incluir na lista de materiais os itens como, louças e metais, tomadas, portas e janelas, rodapés, instalações elétricas e hidráulicas, entre outros itens que serão trocados ou instalados durante a construção ou reforma.

3. Identifique quais serviços serão necessários

Além do material, você precisa saber quais tipos de serviços vão ser necessários. Se você não tem nenhuma experiência com obras, vai precisar da ajuda de algum amigo, um mestre de obras ou um pedreiro que saiba como fazer orçamento de obra.

Você precisará saber quantos dias, quantas pessoas e quais profissionais — pedreiro, ajudante, pintor, eletricista, encanador, entre outros — serão necessárias para executar o serviços.

4. Faça uma pesquisa de preços

Sabendo os materiais e os serviços necessários, é hora de partir para uma etapa importante — a pesquisa de preços. Os valores de materiais e serviços de construção variam consideravelmente entre uma loja e outra. Por isso, você não pode ter preguiça de procurar.

Saia à procura dos melhores preços, tente negociar descontos com os vendedores, procure mais de um profissional para fazer o orçamento. Em uma obra ou reforma de maior valor, qualquer percentual economizado já pode fazer uma boa diferença, portanto, pesquise bastante, seja online ou em lojas físicas.

5. Liste os demais custos

Agora você já tem os custos de material e de mão de obra, que são os maiores valores de uma obra. No entanto, existem alguns custos adicionais que também precisam entrar na conta, por exemplo:

– Gasto com projeto, documentação e autorização na prefeitura ou no condomínio;
– Aluguel de máquinas ou equipamentos;
– Pagamento para destinação dos resíduos e entulhos da obra;
– Se for necessário retirar seus pertences do imóvel, devem ser incluídos gastos com transporte e armazenamento;
– Gastos com reparos e imprevistos, por exemplo, remoção de vazamentos.

Mesmo tentando pensar em tudo, é bom deixar uma margem de segurança, pois quase sempre aparecem surpresas. Separar em torno de 10% do valor total da obra para esses casos.

6. Organize o orçamento de obras

Você agora já tem quase todos os custos da obra e já sabe quanto vai precisar desembolsar. Se o dinheiro que você tem disponível não é suficiente, é hora de rever a lista de prioridades e cortar itens que não são absolutamente necessários.

Outra opção é rever suas escolhas optando, por exemplo, por acabamentos mais em conta. O importante é que o total da obra seja condizente com o dinheiro que você tem disponível.

Para ter maior controle, você precisa organizar todos os dados que coletou. O ideal é usar uma planilha ou um aplicativo específico para fazer orçamento de obra. Na FazTudo.Online você consegue fazer um orçamento e encontrar os melhores profissionais para sua reforma, confira!

Separe os dados por categorias, como fundação, paredes, instalações elétricas, pintura, revestimento, pedreiro, eletricista ou o que mais fizer sentido dentro do escopo da sua obra. Coloque o valor que você encontrou durante a pesquisa como planejado.

7. Acompanhe a execução da obra

Você aprendeu como fazer orçamento de obra e listou tudo corretamente? Ótimo! Agora é hora de partir para a execução e lembrar que o orçamento existe, não apenas para a fase anterior à obra, mas deve ser usado também durante ela.

Anote todas as compras nas respectivas categorias e confira se os valores realizados estão dentro do valor planejado.

Se alguma categoria exceder o planejamento, é hora de ligar o alerta vermelho. Você vai precisar economizar em outra categoria, optar por outros materiais ou até mesmo rever o escopo da obra.

Acompanhe diariamente ou semanalmente todos os gastos para que a obra não saia do orçamento.

Como economizar ao realizar uma obra

Economizar é sempre bom e mesmo que o seu orçamento disponível seja alto, é sempre bom evitar gastos desnecessários para gastar com o que realmente importa.

Além de saber como fazer orçamento de obra e acompanhar constantemente durante e execução, há outras atitudes que você pode tomar, como:

– Oriente a equipe quanto ao manuseio e armazenamento correto dos materiais, evitando quebras e desperdício;
– Faça um cronograma de obras e confira se a equipe está atendendo aos prazos. Se a obra passar do prazo, o custo com mão de obra também vai aumentar;
– Seja inteligente na escolha dos acabamentos. É possível economizar comprando os itens certos sem abrir mão do requinte e da beleza;
– Opte por utilizar o mesmo tipo de piso em mais lugares. Comprando uma quantidade maior do mesmo material, você pode negociar o preço;
– Faça você mesmo alguns dos itens que não são tão complicados, como pintura de paredes;
– Além de pesquisar bastante os preços, fique de olho nas promoções;
– Estude comprar itens seminovos, como lustres, bancadas e pias, pois é possível encontrar itens em bom estado com preço mais em conta.

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Toca Obra

Lista de material de construção: veja como montar a sua!

Na hora de construir ou reformar, muitas pessoas não se atentam a um item fundamental: a lista de material de construção. Assim como quando vamos ao mercado, para planejar a sua obra é indispensável ter controle de quais itens serão necessários.

Além disso, esquecer de algum material pode custar caro. Afinal, você terá de pagar a mais pelo item por conta da urgência da demanda ou poderá atrasar alguma das etapas, justamente pela falta de algum produto básico.

 

Por que fazer a lista de material de construção?

Como você viu, a lista de material de construção é super importante para qualquer obra ou reforma. Afinal, com ela você evita esquecimentos, o que poderia resultar em pagar mais caro por determinados itens.

Além disso, ao saber tudo o que irá na sua obra, é mais fácil negociar com os comerciantes e conseguir preços mais atrativos para os materiais, o que resulta em maior economia.

Isso garante que a sua obra ficará dentro do orçamento disponível, evitando que uma etapa saia mais caro do que o planejado e impeça dar sequência nas demais fases.

Com a lista de material de construção em mãos, é possível:

– controlar melhor as quantidades de materiais por etapa;
– evitar esquecimentos;
– reduzir o desperdício;
– manter a obra dentro do orçamento;
– negociar com os comerciantes;
– economizar no preço dos materiais;
– entender quais itens são mais, ou menos importantes, e levar mais qualidade para a sua construção (sem que isso signifique pagar mais caro pelos produtos);
– controlar melhor a sua obra por completo, evitando surpresas desagradáveis.

Dicas para montar uma lista de material de construção

Para conseguir tudo isso, é importante que a sua lista seja bem feita e esteja de acordo com a realidade da sua obra e com a sua expectativa para a construção. Como essa não é uma etapa muito simples, reunimos dicas essenciais para te ajudar. Confira!

 

 

 

Divida a obra por categoria

O primeiro passo é saber em que fase a sua obra está. Afinal, em cada etapa existe uma necessidade diferente. Então, você poderá dividir a sua obra por categoria e montar uma lista de material de construção para cada fase. Por exemplo:

– estrutura: é o início da obra e compreende a fundação, com vigas, pilares e lajes. A lista geralmente envolve materiais básicos como cimento, brita, areia, vergalhões, pregos, escoras etc.;

– alvenaria: é nessa etapa que as paredes começam a ser levantadas e a obra passa a ganhar forma. É preciso investir em cimento, blocos de concreto, tijolos, graute, tubos de PVC, conduítes, fiação, quadros de distribuição, caixas de luz, emboço, reboco e outros;

– cobertura: é a fase do telhamento e do sistema de captação de água, sendo necessária a compra de telhas, madeiras, vigões, calhas, rufos, caibros, mantas térmicas, caixa d’água etc.;

– acabamento: é o momento de deixar a construção mais bonita e charmosa, comprando pisos, azulejos, louças sanitárias, portas e janelas, interruptores, tintas, portões, entre outros.

 

 

Analise a quantidade

Depois de saber quais itens devem integrar a sua lista de material de construção, é importante calcular corretamente a quantidade de cada um, evitando comprar a mais ou a menos (já que ambos poderão trazer prejuízos).

A principal dica é calcular os materiais necessários por etapas (seguindo a divisão que fizemos no tópico acima). E, claro, sempre conversar com o profissional responsável, que poderá te orientar melhor sobre as quantidades.

Você também poderá dividir os trabalhos por período, como atividades do dia e da semana, e planejar a quantidade dentro desses cronogramas – o que melhora o controle da quantidade necessária e evita o desperdício. E, não se esqueça de incluir um percentual a mais nesse cálculo, considerando as perdas.

Para não se perder financeiramente, tenha um teto limite do quanto poderá gastar, evitando ir além do orçamento e acabar se endividando antes de concluir a obra. É claro que esse valor precisa estar de acordo com a realidade de cada etapa.

 

 

Compare os diferentes orçamentos

Com a lista de material de construção pronta, é mais fácil analisar diferentes orçamentos, encontrando aquele que melhor se encaixe na sua realidade financeira e nos desejos para a obra.

A FazTudo.Online é uma parceira da FazTudo Engenharia e também tem como objetivo ajudar na sua construção e reforma. Com profissionais e serviços especializados oferecidos pela plataforma, você pode fazer um orçamento grátis e escolher a melhor opção.

Lembre-se sempre de analisar o custo-benefício de cada item, buscando por um material que seja de qualidade, tenha um bom preço e ainda agregue outros benefícios.

Por exemplo, às vezes pode compensar pagar um pouco mais caro em um produto se o vendedor fizer uma forma de pagamento diferenciada, trocar os produtos que sobrarem ou entregar de maneira mais rápida. De qualquer forma, todas essas questões precisam ser muito bem analisadas.

 

 

Armazene corretamente

Depois de comprar o necessário, é hora de armazenar muito bem esses materiais, evitando que eles estraguem ou se deteriorem. Antes mesmo de ir às compras, verifique se existe espaço suficiente na sua obra (ou em outro local) para esse armazenamento – e se esse espaço é adequado às necessidades dos produtos.

 

 

Conclusão

Como você viu, montar a lista de material de construção é extremamente importante em qualquer obra ou reforma. Afinal, ela evita esquecimentos, permite comparar orçamentos e também facilita na hora de manter a obra dentro do seu teto limite, garantindo que nada saia do controle.

Além de tudo isso, a lista evita desperdícios, já que permite o cálculo mais acertado da sua necessidade por etapa da obra ou de acordo com o cronograma dos profissionais.

 

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Toca Obra

7 Dicas para reformar o apartamento morando nele

Durante a reforma nem sempre é possível deixar o apartamento e hospedar-se em outro lugar. Barulho, poeira e acesso limitado aos pertences são praticamente inevitáveis. Mas não desanime: adotando algumas medidas simples é possível passar por este período com mais tranquilidade e sem estresse. Veja estas sete dicas para reformar o apartamento morando nele.

Planejamento

O primeiro passo é informar o arquiteto sobre as suas intenções ao reformar o apartamento. Desta forma ele poderá montar um cronograma de reforma que respeite as suas possibilidades. Geralmente, este planejamento prioriza a realização da reforma por cômodos, ou seja, um ambiente de cada vez. Neste modelo será mais fácil para os moradores fazerem pequenas adaptações em suas rotinas, diminuindo o impacto da reforma no dia a dia.

Cuidado com os pertences

Dificilmente os moradores terão acesso a todos os seus objetos durante o período de reforma, por isso, é fundamental que o essencial esteja separado e sempre à mão. O restante dos objetos e roupas deve ser acomodado em caixas. Os móveis deverão ser cobertos por tecidos ou lonas evitando que sejam sujos pela poeira. O ideal é que todos os pertences sejam acomodados em um único cômodo ou num local que não atrapalhe a circulação das pessoas.

Organize seus horários

Ao reformar o apartamento, sua casa será frequentada por diversas equipes que trabalharão incessantemente nos ambientes. Para evitar estresse e desentendimentos, informe-os sobre os seus horários. Assim eles poderão se adaptar à sua rotina causando o menor incômodo possível.

Garanta limpeza sempre ao reformar o apartamento

A sujeira e a bagunça ao reformar o apartamento são inevitáveis. Por isso, combine com os empreiteiros responsáveis por sua obra para que a organização do ambiente seja uma prioridade. Ao final de cada dia de trabalho, os entulhos devem ser dispensados nos locais adequados e os ambientes limpos a fim de receber os moradores da casa.

Uma obra limpa é sinônimo de obra segura e livre de estresse.

Bloqueie a poeira

Para reformar o apartamento em etapas, bloquear a poeira pode ser uma ótima estratégia para evitar ainda mais sujeira. Coloque panos úmidos nas frestas das portas e impeça que a poeira entre em outros cômodos.

Preserve o piso antigo

A troca do piso pode ser a responsável pelo atraso e sujeira da reforma. A sugestão para evitar estes problemas é procurar pisos que possam ser instalados por cima do antigo. Atualmente é possível escolher porcelanatos, laminados e pisos vinílicos que podem ser encaixados ou colados, atendendo a esta necessidade da reforma.

Instale o piso por partes

O ideal é que o piso seja instalado primeiro nas áreas de circulação intensa. Isto porque, em muitos casos, é preciso aguardar que o revestimento cole ou assente por completo antes que as pessoas possam pisar livremente neles. Fazendo assim, os impedimentos e incômodos provocados pela reforma serão superados ainda no início da obra.

Reformar o apartamento é um sonho e a impossibilidade de deixa-lo durante as obras não deve ser motivo para desistir da obra. Com algumas providências práticas é possível reformar o apartamento sem dores de cabeça. Converse com o seu arquiteto sobre o planejamento da reforma e a melhor forma de realizá-la!

Gostou do post? Gostaria de realizar um orçamento? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: E-interiores