DICAS PARA PLANEJAMENTO DE OBRA

 

Confira aqui Dicas para Planejamento de Obra para sua obra ficar mais econômica e sem surpresas, acerte na escolha do arquiteto ou engenheiro e desfrute de uma obra sem Stress.

Construir ou reformar um imóvel é sempre um processo que requer disposição por parte de quem encomenda a obra, mas com as dicas, vai ficar mais fácil. E quem está construindo ou reformando deve acompanhar todo o processo, incluindo a etapa do planejamento.

Acompanhar a obra evita problemas posteriores, além de garantir que os serviços estão sendo feitos como o combinado – tanto no que se refere à qualidade quanto nos prazos previstos, por isso as Dicas para Planejamento são muito importante para quem vai construir pela primeira vez.

Mesmo que você tenha contratado uma empresa especializada e de ótima reputação no mercado, é importante fazer esse acompanhamento pessoalmente. Para facilitar, confira algumas aqui Dicas para Planejamento de Obra.

 

1 – Projeto de Arquitetura da obra

O projeto de Arquitetura da Obra é o inicio de tudo, a fase mais importante de uma obra, pois faz parte de um planejamento de serviços que serão executados por profissionais de construção civil de diversas áreas, o Projeto de Arquitetura da Obra é uma ferramenta muito importante, pois é o que vai servir como base para o andamento de todo o processo da obra. É importante buscar profissionais que realizam o projetos que sejam qualificados e tenham experiencia com o serviço que você deseja, pois esses profissionais de projetos (Engenheiros e Arquitetos) são as pessoas que mais entendem do que é possível ou não fazer em uma construção e reforma ou decoração, são eles quem podem lhe oferecer as Dicas para Planejamento de Obra.

Ainda assim, dê sugestões e solucione todas as dúvidas, antes de aprovar o projeto. Quando ele estiver finalizado, tenha sempre uma cópia do que será feito na obra.

 

2 – Anote e guarde

Na fase do planejamento da obra essa Dica para Planejamento de Obra, não deixe de tomar nota de coisas importantes, como: materiais que serão usados, quantidades, preços e outros dados.

Registre também cálculos sobre custos de materiais, mão de obra, taxas e tarifas, entre outras contas. Também guarde orçamentos separados, ou seja, do que está previsto: custos com materiais, custos com profissionais, custos com a prefeitura (se houver), entre outros encargos.

Existem profissionais especializados em desenvolver o custo real e detalhado de cada obra, através de planilhas de custo físico financeira, essas planilhas são obrigatórias para quem vai fazer uma construção financiada, mas também ajudam muito quem vai construir com recursos próprios para poder se orientar em relação as despesas da obra.

Não se esqueça de também guardar cupons e notas fiscais, recibos, orçamentos recebidos, contratos, contato das pessoas que trabalharão na construção ou reforma e qualquer tipo de documento relativo à obra.

 

3 – Compras

Participe da lista de compras e dê sugestões de variações de materiais, cores, marcas, preços. Exija que os materiais sejam comprados conforme o prometido e procure estar presente no momento da aquisição dos materiais mais importantes, Consulte sempre seu Arquiteto para as Dicas para Planejamento dos Materiais que serão utilizados na Obra.

Além disso, sobre o valor total das compras, calcule cerca de 20%. Este será o custo aproximado de materiais que possivelmente terão de ser adquiridos depois da obra ter se iniciado.

 

4 – Bom relacionamento

Como em qualquer relação comercial e de prestação de serviços é importante que exista respeito e transparência de ambas as partes: contratante e contratados. Essa Dica para Planejamento de Obra, Evite discussões, acusações e outras deselegâncias que em nada ajudam a solucionar possíveis impasses e ainda podem colocar em risco a qualidade do trabalho das pessoas que atuam na sua obra.

 

5 – Contratos

É de extrema importância formalizar um contrato com a empresa que prestará o serviço de construção ou reforma. Projeto, preços, prazos e outras informações devem constar no documento.

Também não deixe de providenciar um contrato diferente caso contrate mais de uma empresa ou profissionais autônomos para trabalhar na obra. Isso evita problemas posteriores em relação a custos, prazos e qualidade do serviço.

 

6 – Visita ao local

Por fim, é importante sempre visitar o local – ainda que a obra esteja em fase de planejamento. Assim que a construção ou reforma começar, não deixe de passar na obra constantemente, para avaliar se o andamento do trabalho segue como o previsto e tire sempre qualquer dúvida sobre a sua construção que está sendo feita.

 

Gostou das dicas? Gostaria de realizar uma reforma ou obra em seu imóvel? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

 

Fonte: Sua Obra

DICAS DE MANUTENÇÃO PARA SEU PRÉDIO COMERCIAL

Manter a funcionalidade e a segurança de um prédio comercial é tarefa que exige conhecimento, profissionalismo e seriedade. Realizar a manutenção predial periódica garante a valorização do imóvel, proporciona segurança para as pessoas, maquinários e equipamentos que ocupam o prédio.

 

A importância da manutenção predial

Deixar de realizar a manutenção predial pode ser considerada uma negligência. Afinal, ela evita a deterioração da estrutura, previne acidentes e minimiza o gasto com consertos.

A manutenção preventiva deve ser feita periodicamente para, como o nome já diz, prevenir futuros inconvenientes e gastos desnecessários. Assim você mantém o seu negócio de forma mais rentável e segura.

Pense bem, quanto valor está agregado embaixo do telhado do seu prédio comercial. É fundamental cuidar deste patrimônio, dos bens e dos recursos humanos que ele abriga.

Então, siga estas dicas:

 

1. Ar condicionado:

 

Além de manter a temperatura ambiente em um nível agradável para o conforto das pessoas que ocupam o prédio, o ar condicionado deve estar regulado corretamente para garantir o resfriamento e o bom funcionamento de equipamentos e maquinários.

Equipamentos de climatização desregulados podem causar danos às máquinas e provocar o aumento da mão de obra, aumentando também os custos da produção.

Manter a manutenção periódica e preventiva evita estes problemas, garante saúde e bem-estar aos colaboradores e prolonga a vida útil dos equipamentos.

 

2. Instalação elétrica:

 

Já imaginou o prejuízo que uma pane no sistema elétrico pode gerar em um prédio comercial? Além do estresse, falhas no sistema elétrico causam desperdício de dinheiro e de energia elétrica.

Manter um planejamento de manutenção periódica e a aquisição de materiais de qualidade para a alimentação de energia do prédio garantem o bom funcionamento de todas as atividades e redução na fatura de energia elétrica.

 

3. Itens de segurança:

 

Não espere por um acidente para descobrir que seu sistema de segurança tem falhas. Faça inspeções periódicas para verificar a condição das escadas, extintores de incêndio, iluminação de emergência e outros equipamentos do prédio.

Além disso, fique atento também à segurança patrimonial, mantendo o funcionamento de câmeras de vigilância, sistemas de travas de portas e portões eletrônicos.

 

4. Impermeabilização:

 

Imagine uma goteira bem em cima de um equipamento, vazamento no encanamento ou umidade gerada por infiltração. Nem pensar, não é mesmo? A infiltração pode trazer problemas graves tanto na estrutura do prédio, quanto aos maquinários instalados e à saúde das pessoas que ocupam o prédio.

Utilizar um sistema de impermeabilização de rápida aplicação, que não produza entulho e tenha garantia de resistência por muitos anos, é essencial para evitar infiltrações, dores de cabeça, gastos com conserto e troca de equipamentos.

Verifique frequentemente as instalações hidráulicas, para evitar entupimentos e vazamentos.

 

5. Profissionais capacitados:

 

Em todo serviço de manutenção, contrate sempre os profissionais especializados na área que necessita de reparos ou de prevenção. A qualificação dos profissionais contratados garante um serviço bem feito na primeira vez, evitando retrabalho e gastos desnecessários.

Além disso os profissionais já têm todo o equipamento necessário para a realização do reparo, sem comprometer a segurança com equipamentos inadequados ou colocar em risco a integridade física de alguém.

 

6. Invista na manutenção:

 

Você viu que a maioria das dicas é preventiva. Saiba que mais vale investir em prevenção do que correr atrás do prejuízo.

Vale a pena manter seu prédio comercial funcionando da maneira correta e sem riscos. Não é gasto, é investimento, seriedade e respeito para com todos os que utilizam o prédio.

Gostou das dicas? Gostaria de realizar um orçamento para plano para manutenção mensal? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: FiberSals

DICAS PARA REFORMAR INSTALAÇÃO ELÉTRICA COM SEGURANÇA

 

Redes elétricas internas antigas podem trazer muitos problemas para os consumidores. Por exemplo, o desgaste natural dos cabos pode provocar fuga de energia elétrica, elevando o valor da conta da luz e, no limite, aumentando o risco de curtos-circuitos e até incêndios. É comum também no Brasil o uso de tomadas antigas e fora do padrão vigente, com espelhos deteriorados e expondo a fiação para o contato indevido de crianças e animais.

 

Em casos em que apartamentos e casas foram construídos há muito tempo, a fiação elétrica pode tornar-se defasada, seja pelo fato de fios e cabos usados terem sido feitos com produtos e tecnologias ultrapassadas, seja pelo fato da residência não ter sido planejada para suportar os novos equipamentos da vida moderna, como ar-condicionado, micro-ondas, computadores, celulares, tablets e outros. Por esse motivo, é muito importante identificar a hora certa de reformar a instalação elétrica de um imóvel.

 

“O Grupo CPFL está comprometido com a segurança da população. Em razão disso, reforça as dicas de segurança. A melhor maneira de saber como está o estado das instalações elétricas da residência é chamar um profissional especializado, para realizar uma inspeção em todos os pontos”, afirma o gerente de Saúde e Segurança da CPFL Energia, Marcos Victor Lopes.

 

Para reforçar a importância do assunto, a Campanha Chega de Choque traz dicas de segurança que ajudam a proteger as residências:

 

– Fios descascados, amassados ou com corrosão na capa isolante devem ser imediatamente substituídos;

– Fique atento à temperatura dos fios dos aparelhos. Se eles ficarem muito aquecidos durante o uso, chame um técnico eletricista;

– Não realize ligações de novas tomadas, disjuntores ou faça qualquer adaptação na instalação. Sempre que for necessário, conte com o trabalho de um profissional;

– Nunca ligue um fio diretamente na tomada ou desligue aparelhos puxando-os pelo fio;

– Nunca use ‘benjamins’ para ligar mais de um aparelho na mesma tomada. Ligue apenas um aparelho por tomada;

– As tomadas, disjuntores e aparelhos elétricos devem ficar distantes de pias, torneiras ou de outros locais onde há água. Se isso não for possível, tome cuidado para que os equipamentos não entrem em contato com líquidos;

– Não utilize aparelhos elétricos durante o banho, como barbeador;

– Quando ocorre o desarmamento de disjuntores com frequência, ou queima constante de fusíveis, é sinal que a instalação elétrica da sua casa está sobrecarregada. Neste caso, chame um eletricista para verificar a fiação;

– Nunca coloque arames ou moedas no lugar de fusíveis;

– Se for viajar, desligue todos os aparelhos eletrônicos das tomadas;

– Quando for trocar uma lâmpada ou o chuveiro, desligue disjuntores e a chave geral. Além disso, não toque na parte metálica da lâmpada;

– Evite deixar cortinas ou tapetes sobre os fios elétricos para evitar um incêndio em caso de curto circuito;

– Nunca deixe o carregador do celular ligado na tomada sem o celular.

– Choques ao tocar no registro do chuveiro elétrico ou na porta da geladeira são indícios que a rede elétrica está com problemas;

– Caso sinta cheiro de queimado, fumaça ou cabo derretido, chame imediatamente um técnico eletricista;

– Opte por instalar o novo padrão de tomada, com entrada para três pinos. Ao instalar o novo padrão, contrate um profissional para realizar o aterramento da tomada, o que trará mais segurança para os equipamentos;

– Compre materiais elétricos com selo do Inmetro, o que garante que são produtos testados e de boa qualidade;

– Antes de comprar novas tomadas para a residência, verifique a amperagem dos interruptores dos eletrodomésticos. Alguns modelos de micro-onda, secador de cabelo e fogão usam tomadas de 20 ampère por demandarem mais energia;

– Use protetores nas tomadas que não estiverem sendo utilizadas, isto evita que crianças insiram materiais dentro das tomadas;

– Revise toda a fiação da sua casa a cada cinco anos como precaução.

 

Gostou das dicas? Gostaria de realizar uma reforma elétrica em seu imóvel? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Elas por Elas

Tudo sobre cooktop: tire todas as suas dúvidas

Na busca por uma cozinha que além de bonita e elegante, também é funcional e otimizada? Então, é claro que não pode faltar um fogão cooktop, não é? Esses eletrodomésticos são sinônimos de praticidade e alta performance e, além disso, são perfeitos para incrementar a decoração da sua cozinha, deixando-a mais moderna. Ainda está na dúvida? Então, confira o nosso post e saiba tudo sobre cooktop!

Como funcionam os cooktops?

A primeira coisa que você precisa saber sobre o cooktop é que ele possui três modelos diferentes de funcionamento: à gás, elétrico e por indução. Cada um possui características e performances diferentes, portanto, vamos explicar um a um para você entender melhor.

O cooktop à gás, como o nome já indica, funciona de forma bem parecida com os fogões tradicionais: ele produz uma chama que é alimentada por GLP, o famoso gás de cozinha. Ele também possui duas opções de acendimento: manual e elétrico – mesmo se uma queda de luz, por exemplo, você conseguirá operá-lo normalmente.

Cooktop Tramontina Standard – 4 Bocas – Chama Rápida – Bivolt

Já o cooktop elétrico funciona à base de eletricidade e dispensa o uso de gás, uma vez que não produz chama. O aquecimento nesses aparelhos é gerado através de uma resistência (bem parecida com aquelas de chuveiro) que transforma a eletricidade em calor, garantindo temperaturas ainda mais precisas. Outra característica deste eletrodoméstico é a sua superfície totalmente plana.

Cooktop Tramontina Touch Control 4 Bocas Chama Rápida 220V

O cooktop por indução também pode ser considerado um modelo elétrico, mas com uma importante diferença: nesse aparelho, o calor é gerado por meio de correntes eletromagnéticas. Basicamente, ele cria um campo magnético quando a panela entra em contato com a sua superfície, transferindo o calor dos queimadores diretamente para o fundo da panela. Assim, o cooktop por indução é considerado o modelo mais moderno e eficiente.

Cooktop Tramontina Square Touch Vitrocerâmico – 4 Bocas – Indução – Preto – 220V

Dá para usar qualquer panela?

Uma dúvida muito comum ao trocar o fogão tradicional por um cooktop é se você poderá continuar utilizando as mesmas panelas. A resposta é: depende. Nos modelos com funcionamento à gás, você pode utilizar qualquer panela que usaria no seu antigo fogão (de ferro, cerâmica, vidro etc). Já para os modelos elétricos, a única restrição é que a panela deve ter fundo reforçado e plano, de forma a garantir um cozimento mais uniforme.

Agora, se você escolher um cooktop por indução, provavelmente terá que dar adeus às suas antigas panelas. Isso porque, como esse modelo funciona apenas por correntes eletromagnéticas, a panela precisa ser compatível com essa função. Em geral, podem ser utilizadas aquelas feitas com aço multicamadas ou de ferro fundido. Para ficar mais fácil, você pode fazer o teste com um imã – se ele grudar no fundo da panela, ela pode ser utilizada!

Fogão Cooktop por Indução

Cooktop gasta muita energia?

Ao adquirir um cooktop, é importante você levar em consideração que esse eletrodoméstico gera, sim, um gasto a mais de energia elétrica. Os modelos à gás só usam eletricidade no acendimento automático e também funcionam no modo manual, portanto, são mais econômicos nesse aspecto.

Mas isso não quer dizer que um fogão cooktop elétrico irá encarecer muito a sua conta de luz! Em geral, esses aparelhos gastam praticamente a mesma quantidade de energia que um chuveiro elétrico – e é sempre válido lembrar que eles não utilizam gás, portanto, você acabará economizando e, simultaneamente, terá uma performance ainda mais eficiente no cozimento.

Quais as vantagens em relação ao fogão convencional?

Além das características que já citamos acima, existem diversos outros pontos que colocam o cooktop em vantagem na comparação com o fogão convencional. Por exemplo, o cooktop ocupa menos espaço: ele possui um design moderno e compacto e pode ser instalado em praticamente qualquer lugar da cozinha, otimizando ainda mais o ambiente.

Alguns modelos também cozinham mais rápido que os fogões clássicos, pois permitem maior controle de temperatura e também não liberam calor no ambiente – portanto, não há desperdício. Além disso, modelos aqueles com funcionamento por indução evitam acidentes domésticos, uma vez que só geram calor em contato com a panela – você pode, inclusive, encostar a sua mão na superfície do cooktop sem se queimar.

A falta de forno embutido pode ser considerada uma desvantagem, pois você precisará comprar os dois eletrodomésticos separadamente (um fogão cooktop e um forno). Mas, olhando por outro lado, isso também pode ser uma vantagem: dessa forma, você pode instalar o seu forno onde desejar, priorizando a otimização do espaço e o uso mais fácil.

Como instalar o cooktop?

A instalação do seu cooktop dependerá do modelo escolhido, mas, em geral, ela é superprática! O aparelho pode ser acoplado a um móvel da sua cozinha, como um armário ou uma bancada, por exemplo. Mas é importante ter alguns cuidados: o material sobre o qual o eletrodoméstico ficará deve ter espessura de 2 a 6 cm e ser feito de material resistente a altas temperaturas (como o granito, por exemplo).

Alguns modelos de cooktop elétrico podem precisar de uma tomada exclusiva e outros, inclusive, devem ser instalados diretamente na rede elétrica, afinal, tratam-se de aparelhos de alto rendimento. Portanto, é muito importante verificar o manual antes de iniciar a instalação e, de preferência, contratar mão de obra especializada.

Gostou do que viu? Gostaria de instalar em seu imovel? Entre em contato conosco e não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Web Continental