OS PRIMEIROS PASSOS DE UMA REFORMA

appalti_582_1

Decidiu reformar a casa, mas não sabe por onde começar? Saiba quais são os passos para iniciar uma reforma e planeje-se

Fazer uma reforma em casa requer muita organização e programação. Quando mal planejada, ela pode trazer más surpresas e causar dor de cabeça e problemas inesperados.

Se você está planejando transformar parcial ou totalmente o seu imóvel, mas não sabe por onde começar, saiba que é preciso cumprir algumas exigências em relação ao projeto, cronograma e orçamento.

Separamos as primeiras etapas fundamentais de uma reforma, para que o seu sonho se torne realidade – e não um pesadelo.

Ponto de partida

Assim que você decidir que quer reformar o seu lar, analise quais mudanças está buscando. A casa está apresentando problemas, e você quer resolvê-los? A separação dos espaços não faz mais sentido? Ou você cansou e quer uma casa completamente nova? Tenha em mente algumas ideias para facilitar o trabalho do arquiteto ou do engenheiro escolhido.

Devo contratar um profissional?

Se a ideia for apenas renovar a pintura ou trocar alguns revestimentos do imóvel, é possível fazer o trabalho sozinho. Caso você note alguns problemas estruturais, como fissuras na parede, azulejos ocos ou piso afundado, é essencial contratar um especialista, de preferência um arquiteto ou engenheiro civil. Cuidado para não confiar em quem não entende do assunto e gastar muito mais do que o necessário! O profissional habilitado consegue antecipar os transtornos e evitar erros e atrasos. Além disso, se a reforma envolver qualquer quebra-quebra, ele conseguirá dar um laudo do que precisará ser feito.

Consultoria

Essa etapa, que consiste em uma conversa com o arquiteto ou engenheiro, determina se a obra será viável para a casa e para o bolso do morador. É necessário mostrar as plantas originais e as fotos dos espaços a serem reformados. “Na hora, eu forneço um diagnóstico, acompanhado de cálculo do custo e do tempo da reforma, baseado na idade do imóvel”, explica a arquiteta Ana Lucia Siciliano.

Projeto

O projeto é importante para garantir que a reforma aconteça dentro das normas e dos prazos. Para o arquiteto Gustavo Calazans, o projeto detalhado é fundamental: “Sem ele, a obra se atrapalha no meio”, diz. Esgotar todas as possibilidades leva à melhor solução e evita que o processo gaste mais tempo que o previsto.

Orçamento

O preço dos projetos varia de acordo com o tamanho da área e o volume da reforma. O arquiteto apresenta os serviços a serem realizados e as opções de materiais, já incluídos os valores calculados com base na quantidade, modelo e marca.

Duração

A reforma começa no momento em que o projeto está sendo planejado. Por causa dessas várias etapas, ela pode levar entre três e seis meses. Para o engenheiro civil Luiz Henrique Ferreira, é preciso reservar no mínimo três meses entre o dia em que se decide fazer uma reforma e o início da obra.

Além disso, é fundamental atrelar o orçamento ao cronograma da obra, já que a definição dos materiais e a escolha dos fornecedores dependem da combinação do preço e do prazo de entrega.

Materiais

A escolha dos materiais influencia todo o projeto, inclusive em relação a sua qualidade e durabilidade. Usar revestimento de área interna em uma área externa, por exemplo, é algo a evitar, já que o material poderá durar menos se utilizado em lugar errado.

Autorizações necessárias

Reformas requerem aprovação do condomínio e também da prefeitura da cidade. Por isso, o projeto com todas as mudanças planejadas é fundamental para obter a autorização.

No caso dos condomínios, qualquer alteração em apartamentos deve ser comunicada e aprovada pelo síndico do prédio, constando a planta com as mudanças, os materiais previstos e o tempo estimado da obra. Além disso, a obra deve respeitar as regras para horários, limpeza das áreas comuns e despejo de entulho.

É recomendável, inclusive, conversar com os vizinhos antes de qualquer obra começar, explicando todos os detalhes, já que uma denúncia na prefeitura pode até embargar o projeto.

Checklist

O engenheiro Alexandre Tomazeli aconselha pedir, no fim de toda reforma, uma carta de garantia com base no check-list dos serviços que foram contratados.

Tenha paciência

Não adianta ter pressa para acabar logo. Um trabalho bem feito, com todos os detalhes necessários, resultará em um projeto incrível. Assim que toda a quebradeira acabar, a sensação de casa nova vai fazer tudo ter valido a pena.

Gostou deste conteúdo e quer ficar por dentro de outras dicas de reformas e construções? Então, não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte: Revista Casa e Jardim

5 cálculos simples de materiais para reforma

013calculo

Dicas ajudam a calcular os materiais da reforma de casa. A matéria completa também está no ZapImóveis.

Como saber calcular a quantidade de material que você vai precisar para sua obra? Normalmente o pedreiro passa uma lista. Além disso, existem diversas calculadoras online que podem te ajudar com quantidade de tinta, de piso, entre outros materiais.

Mas é sempre bom ter uma noção das quantidades para não errar, nem gastar comprando material a mais e nem atrasar a obra comprando menos.

Listamos alguns cálculos simples que ajudam a estimar a quantidade de material que você vai precisar comprar. A questão é saber ficar no controle.

Cálculo da quantidade de tijolos

O segredo aqui é calcular a área (largura x altura) e saber que tipo de tijolo você quer usar.

Passo 1 – Cálculo da área: Use a trena para medir a largura e a altura da parede que você irá construir. Para uma parede retangular simples, é só multiplicar a altura pelo comprimento. Se houver portas e janelas, desconte a área que elas vão ocupar. Depois some cada uma das paredes para chegar à área total.

Passo 2 – Tipo de tijolo: Escolha o tipo de tijolo que você vai usar. Depois verifique nesta tabela de referência quantos tijolos são necessários para preencher 1 metro quadrado.

Bloco de concreto 9x19x39 cm / 14x19x39cm = 12,5 unidades por m²

Bloco cerâmico (tijolo baiano) em pé em parede com 10 cm de largura = 23 unidades por m²

Bloco cerâmico (tijolo baiano) deitado em parede com 20 cm de largura= 46 unidades por m²

Tijolo comum maciço em parede com 10 cm de largura = 92 unidades por m²

Tijolo comum maciço em parede com 20 cm de largura = 184 unidades por m²
Se o bloco escolhido for de outro tipo, cheque com o fornecedor quantos tijolos vão para cada m².

Passo 3 – O resultado: É só multiplicar a área de parede pela quantidade de tijolos. É recomendável comprar 10% a mais porque pode haver perdas durante a obra.

Cálculo de quantidade de revestimento

As peças são vendidas por m². Em geral, peças menores ficam melhores em ambientes pequenos e geram menos perda com recortes.

Faça o cálculo da área do piso, multiplicando o comprimento pela largura do cômodo. Aí você saberá quantos m² de piso precisa comprar. É recomendável, também, comprar 10% a mais porque pode haver perdas. Se você escolher colocar o piso na diagonal, a perda com recortes pode ser maior. Compre 20% a mais.

O cálculo é o mesmo para a parede. Só é preciso descontar as áreas de portas e janelas. O cálculo de rodapé é mais simples ainda porque ele é vendido por metro linear. É só medir os contornos da parede.

Cálculo de quantidade de tinta

Considere que quanto maior a qualidade da tinta, menos demãos você vai usar. Nem sempre tinta mais barata significa economia.

Calcule a área da parede: Multiplique largura pela altura de cada parede e some todas. Se houver muitas portas e janelas, desconte a área que elas ocupam ao final. Se não forem muitas, não se preocupe com isso.

Para o teto, faça o mesmo cálculo de área, multiplicando comprimento e largura.

Em geral, cada litro de tinta do tipo standard pinta 5 m². Escolha se você irá comprar o galão de 3,6 litros ou a lata de 18 l. Considere também quantas demãos você precisará fazer. Então:

Um galão de 3,6 l dá para pintar 18 m². Se for fazer duas demãos, dá para 9 m².

Um galão de 18 l dá para pintar 90 m². Se for fazer duas demãos, dá para 45 m².

Cálculo do tamanho da caixa de água

Em geral, cada pessoa consome 150 l de água por dia, se morar numa casa. Se morar em apartamento, esse número sobe para 200 l/pessoa.

A recomendação é de que a caixa d´água seja um reservatório suficiente para dois dias. O cálculo é simples: a quantidade de pessoas que usam a casa pela quantidade de litros que cada uma precisa (150 l) por dois dias: X pessoas x 150 l x 2 dias (por exemplo, numa casa com 4 pessoas a caixa d´água precisaria ter 1.200 l).

As caixas d´água têm dimensões padrão: 310 l, 500 l, 1000 l, 1500 l ou as maiores, com capacidade de 4.000 l. É possível escolher uma única, com volume próximo do que você precisa, ou combinar duas caixas d´água, que juntas deem o volume necessário. A vantagem de usar duas é que isso distribui mais o peso sobre a laje.

Só de curiosidade, em apartamentos, o consumo diário por pessoa é maior (200 l) em função da maior pressão da água, que acarreta também em maior consumo.

Quantidade de tomadas

Use a referência de quantidade, mas pense bem quais equipamentos você pretende usar em cada cômodo.

Há uma quantidade mínima de tomadas de uso geral (que ligam os equipamentos TV, liquidificador, entre outros) que devem ser instaladas de acordo com a área dos cômodos.

A recomendação técnica é de que seja instalada pelo menos uma tomada de 100VA em cada cômodo de até 6 m². Para cômodos maiores que isso, calcule uma tomada para cada 5 m de parede.

Em cozinhas, copas e áreas de serviço são usadas mais tomadas. Pelo menos uma tomada a cada 3,5 m. Acima da pia, instale pelo menos uma tomada. Lembre-se que máquinas de lavar, micro-ondas e outros equipamentos que geram calor precisam de uma tomada exclusiva.

Nos banheiros coloque pelo menos uma tomada e garanta que ela esteja, no mínimo, a 60 cm de distância do box.

Em subsolos, varandas, garagens e sótãos, utilize no mínimo uma tomada.

Pense na quantidade de aparelhos que pretende ligar e prefira fazer mais tomadas a usar extensões e benjamins.

Gostou deste conteúdo e quer ficar por dentro de outras dicas de reformas e construções? Então, não deixe de assinar a nossa newsletter!

Fonte – http://revista.zapimoveis.com.br/veja-como-calcular-reforma-de-casa/

6 Dicas para uma Reforma Rápida

ampulheta2

Um dos maiores desejos de quem se aventura a reformar é que a obra aconteça da maneira mais rápida e barata possível. Uma reforma rápida, como aquelas que vemos nos programas de TV, podem causar grande impacto visual, no entanto elas são superficiais, incluindo pintura, troca de revestimentos e principalmente mobiliário.

Não são consideradas nessas reformas troca de tubulações, telhado, rede elétrica, tampouco correção de infiltrações.

Dentro do que entende-se por mundo real da reforma, deve-se levar em conta a viabilidade técnica e financeira da obra.

Vamos apresentar a seguir algumas dicas para a sua reforma acontecer rapidamente:

1 – Contratação de um profissional

Antes de qualquer coisa, é muito importante contratar um profissional da área para ajudar no planejamento da obra.

A concepção do escopo da reforma pode ser feita através de um bom projeto ou um detalhado memorial descritivo.

As principais ferramentas para o gerenciamento são os cronogramas físico e financeiro. Dessa forma, fica muito claro quando terminará e quanto custará.

2 – Seleção de tecnologias que proporcionam uma reforma rápida

Ainda durante o processo de planejamento, um dos pontos decisivos que podem encurtar o tempo da obra é a seleção da tecnologia a ser aplicada nas diversas etapas dela.

Por exemplo:

  • Para as ampliações, a estrutura em concreto armado pode ser substituída por estrutura metálica;
  • Para a construção de paredes, a troca dos tradicionais tijolos e blocos cerâmicos por painéis em drywall.

Em todos os casos estamos substituindo processos mais demorados e que fazem mais sujeira, por outros rápidos e limpos. Podendo ser até 6 vezes mais rápidos, ou seja, o que levaria 30 dias pode ser feito em 5.

3 – Escolha da mão de obra

A contratação de mão de obra qualificada promove maior rapidez na execução, e principalmente a inexistência de retrabalhos.

Contar com empresas e profissionais idôneos confere à obra garantia dos serviços mesmo após sua conclusão.

Sem dizer que, caso ocorra algum acidente de trabalho, somente empresas com mão de obra registrada terão capacidade de assumir os custos com indenizações ou reabilitação de funcionários. Caso contrário, o contratante, dono da obra, será o único responsável.

4 – Reforma rápida requer desocupação do local

Se estiver com pressa, todos os esforços que possam acelerar a reforma deverão ser providenciados. Um dos que mais pode contribuir para uma reforma rápida é esvaziar o local.

Com a obra sem móveis ou pessoas morando, a dinâmica é outra, não sendo necessário preservar espaços para os moradores, muito menos movimentar e cobrir móveis.

5 – Antecipação da compra de materiais

Para a reforma ter um bom andamento todos precisam fazer a sua parte, portanto, a compra de materiais nunca deve atrasar.

Existem materiais de acabamento que só são vendidos sob encomenda, então, antecipe-se.

Além disso, uma sugestão que também facilita o dia a dia é estabelecer uma conta em alguma loja de material de construção próxima à obra. Defina um único responsável que pode fazer retiradas, e exija prestação de contas semanalmente.

6 – Planejamento do mobiliário

Depois da obra pronta, é a hora de mobiliar.

Antes de comprar qualquer coisa, pense se passará pelas portas! Desta forma, você evita içamentos externos que custam caro e precisam ser agendados, prejudicando assim o prazo e o custo.

Concluindo:

O mais importante para sua reforma corresponder a sua expectativa de prazo, é estabelecer quais serviços são os mais importantes e relevantes. Dessa forma, se precisar de muita rapidez, opte por serviços superficiais, que transformam os ambientes sem exigir grandes investimentos de tempo e dinheiro. Mas esteja ciente de que mudanças duradouras exigem intervenções maiores.

Agora mãos à obra. Com essas super dicas você está preparado para começar a planejar sua obra!

Fonte: https://fibersals.com.br/blog/6-dicas-para-uma-reforma-rapida/